Livros de mulheres que assinaram com pseudônimos masculinos são relançados

Obras tiveram capas recriadas para incluir nomes das autoras que, por preconceito da época, tiveram que assinar com nomes de homens

Por muitos anos, mulheres não puderam assinar seus livros. Não era aceito pela família, bem visto pela sociedade ou, simplesmente, não venderia. Por isso, usavam nomes masculinos. O projeto Original Writers, feito em parceria com HP, tenta corrigir uma parte desse erro histórico criando novas capas para livros com o nome das autoras.

Entre os livros selecionados, clássicos franceses, como Valetine, escrito por Amandine Dupin, que assinava como George Sand; A Filha do Bosque, escrito por Eugénie-Caroline Saffray, que assinava como Raoul de Navery. A lista completa pode ser conferida aqui.

Eles incentivam a impressão das capas para usá-las em bibliotecas pelo mundo, substituindo as antigas.

 (HP/Reprodução)

 (HP/Reprodução)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s