Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Kamala Harris é primeira mulher negra vice-presidente dos Estados Unidos

Senadora pela Califórnia, negra de origem jamaicana e indiana, ela fez história nas eleições de 2020

Por Da Redação Atualizado em 7 nov 2020, 15h07 - Publicado em 7 nov 2020, 14h44

A senadora Kamala Harris, de 55 anos, se tornou a primeira mulher a ocupar o cargo de vice-presidente dos Estados Unidos. Ela faz parte da chapa do democrata Joe Biden, eleito presidente dos Estados Unidos nas eleições de 2020, segundo as projeções dos diversos veículos de imprensa, como Associated Press, New York Times, CNN e NBC.

A anúncio de Harris como vice foi a confirmação de uma promessa feita por Biden em março deste ano, quando disputava a candidatura pelo Partido Democrata com Bernie Sanders. Em um debate, Biden disse que escolheria uma mulher como candidata ao cargo de vice-presidente.

A escolha por ela foi também uma forma de atrair o eleitorado negro. Biden foi vice nos dois mandatos de Barack Obama e, por conta desse histórico e da escolha da ex-procuradora, visou receber apoio dessa população, especialmente de mulheres negras, apontadas como eleitorado mais fiel dos candidatos democratas.

Antes de Kamala, os Estados Unidos já tiveram duas mulheres disputando a cadeira pelos dois grandes partidos. Em 1984, foi a democrata Geraldine Ferraro; em 2008, Sarah Palin. Nenhuma mulher negra ou de origem indiana, como Kamala, chegou a concorrer. É por isso que ela acaba de entrar para a história da maior democracia do mundo apenas por ter sido eleita.

No Twitter, ela publicou um vídeo em que fala ao telefone com Joe Biden em comemoração:

QUEM É KAMALA HARRIS
Formada em ciência política, economia e direito, ela foi procuradora de São Francisco e do estado da Califórnia – cargos que ocupou no período de 2003 a 2014. Em 2016, foi eleita senadora, se tornando a segunda mulher negra a conquistar a posição. É filha um jamaicano e uma indiana. A mãe dela, Shyamala Gopalan, emigrou do país asiático para os Estados Unidos na década de 1960 para obter um doutorado e, posteriormente, se tornou ativista de direitos humanos e referência nos estudos de câncer de mama. O pai, Donald Harris, é economista e professor emérito da Universidade Stanford. Leia o perfil completo.

Continua após a publicidade
Publicidade