CLIQUE E ASSINE A PARTIR R$ 6,90/MÊS

Empresa causa polêmica ao fazer ‘ensaio protesto’ sobre Brumadinho

A Jendayi fez fotos de modelos imersos em lama e foi acusada de oportunismo; diretor de marketing e fotógrafo Jorge Beirigo rebate críticas

Por Vinicius Tamamoto Atualizado em 18 fev 2020, 11h30 - Publicado em 28 jan 2019, 14h42

A Jendayi Cosméticos fez um ensaio fotográfico inspirado na tragédia de Brumadinho, em Minas Gerais. Intitulado de “ensaio protesto”, a empresa convidou três modelos para participar da ação, que foi clicada na cidade de Atibaia, em São Paulo, e conta com 47 imagens.

Na primeira delas, divulgada nas redes sociais da empresa, aparecem uma mulher, um homem e uma criança cobertos por lama seca. Na foto, a inscrição “A dor também é nossa! Juntos vamos até o fim.”

A imagem recebeu críticas de internautas, que acusam a empresa de oportunismo. “Por que não manda ajuda financeira ao invés de gastar dinheiro com esse ensaio RIDÍCULO? Quem, num mar de lama, ia estar com cílios postiços, camiseta insinuante? Vocês não têm nenhuma assessoria de marketing digital?”, comentou uma mulher. 

À CLAUDIA, Jorge Beirigo, diretor de marketing da Jendayi e fotógrafo responsável pelo ensaio, defende-se das acusações. “É marketing, sim. Mas um marketing do bem, marketing para a vida. Se cada um que está reclamando doar 1 quilo de feijão, estaremos com a missão cumprida”, diz.

Continua após a publicidade

Jorge afirma que é ligado a causas sociais e mensalmente participa de ações beneficentes. “Depois do que aconteceu, eu me senti na obrigação de ajudar com a fotografia, que é a minha arte. As fotos tomaram uma proporção que eu não esperava”, conta.

Em 2012, Nana Gouveia virou assunto internacional ao posar para fotos no cenário trágico do furacão Sandy, nos Estados Unidos. Ao ser questionado sobre se vê alguma semelhança entre as ações, Jorge diz que seu ensaio é totalmente diferente.

“É uma arte, não fizemos com as pessoas (que sofreram com a tragédia). Assim como o filme Titanic, a gente reproduziu a tragédia. A gente fez o ensaio para conseguir outro tipo de ajuda”, defende-se.

Na última sexta (25), uma barragem da mineradora Vale se rompeu e atingiu a cidade de Brumadinho, em Minas Gerais. De acordo com o balanço oficial mais recente, divulgado pelas autoridades às 10h30 desta segunda (28), há 60 mortos e 292 desaparecidos.

Continua após a publicidade

Publicidade