Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Ex-refugiada ganha prêmio de melhor professora do mundo

Hanan Al Hroub dá aulas para crianças traumatizadas pela violência típica das zonas de guerra

Por Redação CLAUDIA Atualizado em 28 out 2016, 06h38 - Publicado em 15 mar 2016, 17h59

Após ter sofrido muito durante sua infância num campo palestino nos arredores de Belém, a professora Hanan Al Hroub dá aulas para crianças traumatizadas pela violência típica das zonas de guerra. Usando jogos e brincadeiras, Hanan conseguiu encorajá-las a trabalharem em equipe e superarem seus traumas. O trabalho lhe rendeu o prêmio Global Teacher, equivalente ao que poderia ser o “Nobel da Educação”, que aconteceu em Dubai. 

O valor de US$1 milhão doado à vencedora foi estipulado pelo Papa Francisco. Hanan já adiantou que usará o dinheiro para ajudar seus alunos. “Estou orgulhosa de ser uma professora mulher palestina aqui neste palco”, disse durante um discurso emocionante. 

O próprio Papa fez um vídeo enviado à cerimônia de premiação ressaltando a importância do ofício de ensinar. No registro, ele aparece dizendo que os educadores “construíam paz e unidade”. A vencedora também encorajou os professores de todo o mundo dizendo que os “professores podem mudar o mundo”, logo após receber a premiação. 

Quase lá

Entre os indicados à premiação, estava o primeiro brasileiro a entrar na lista dos 50 finalistas: Marcio Andrade Batista. Professor voluntário, ele dá aulas no estado do Mato Grosso e usa uma metodologia nada convencional, que basicamente busca aplicar as ciências aprendidas em sala ao dia a dia dos alunos.

O nome de Marcio constava na lista dos 50 finalistas publicada pela ONG Varkey Foundation, setor filantrópico da empresa especialista em educação internacional GEMS, responsável pelo prêmio. O professor voluntário inaugurou a seleção de brasileiros na premiação: foi o primeiro em três anos do projeto. Mas infelizmente, não foi dessa vez que ele subiu no palco ao lado dos 10 finalistas. 

Índia, Quênia, Inglaterra, Estados Unidos e Finlândia foram alguns dos países representados por seus educadores finalistas do evento. O reconhecimento acontece em uma cerimônia bem semelhante ao “Oscar”, numa tentativa de aumentar o prestígio de uma profissão tão desvalorizada. 

Estrelas de Hollywood como Matthew McConaughey e Salma Hayek também marcaram presença, ao lado de nomes de peso da política como o vice-presidente dos Emirados Árabes Undios, xeique Mohammed bin Rashid Al Maktoum e o ex-primeiro ministro britânico Tony Blair.

O fundador da instituição sem fins lucrativos responsável pelo projeto e criador da premiação, Sunny Varkey, confessou esperar que a história de superação de Hanan “inspire aqueles que querem seguir a  carreira de professor”.

Divulgação
Divulgação

Confira quem foram os outros nove finalistas

Divulgação
Divulgação

Maarit Rossi, finlandesa responsável por desenvolver um método próprio para ensinar matemática. Pessoas como ela são responsáveis por alguns dos melhores resultados em matemática, em nível mundial, de provas internacionais. Mesmo assim, seus alunos superaram essas pontuações, e alcançaram ainda notas melhores do que os padrões nacionais. 

Sebastian Rich
Sebastian Rich

Aqeela Asifi dá aulas para crianças refugiadas numa escola que ela mesmo criou assim que chegou ao Paquistão como refugiada do Afeganistão. 

Continua após a publicidade

DW/A. Waslike
DW/A. Waslike

Ayub Mohamud é um professor queniano de business, que chegou a ser um dos finalistas pelo reconhecimento de seu projeto criado com o intuito de conscientizar e combater a violência extremista e a radicalização. 

Divulgação
Divulgação

Robin Chaurasiya é indiana, fundadora de uma ONG criada com o intuito de ensinar e apoiar adolescentes que vivem em situação de vulnerabilidade social por estarem em zonas de prostituição. 

Divulgação
Divulgação

Richard Johnson é um professor australiano de ciências que montou um  laboratório para as crianças do primário. 

Divulgação
Divulgação

Michael Soskil é um professor americano que já havia sido vencedor de um prêmio por sua “excelência em ensinar ciências e matemática”. Ele é o responsável por tornar possível o sonho de seus alunos de fazerem parte de projetos em vários lugares do mundo. 

Divulgação
Divulgação

Kazuya Takahashi é um educador japonês responsável por desenvolver uma iniciativa que propõe ensinar ciências e estimular a criação de uma consciência para uma cidadania global. 

Divulgação
Divulgação

Joe Fatheree é um americano pioneiro em realizar projetos com impressoras 3D, drones e videogames online do tipo do Minecraft. 

Divulgação
Divulgação

Colin Hegarty é um professor londrino de matemática, criador de um site com aulas online.

Continua após a publicidade
Publicidade