Duas mulheres concorrem pelo cargo mais alto da ONU

As candidatas que estão à frente na corrida são da Bulgária

Em 2017, chega ao fim o segundo mandato do sul-coreano Ban Ki-Moon como secretário geral da ONU. E, pela primeira vez, uma mulher deve assumir. As duas candidatas com dianteira na disputa são búlgaras. A decisão final será tomada pelo Conselho de Segurança, formado por 15 países (cinco permanentes, que são Estados Unidos, China, França, Grã-Bretanha e Rússia; e dez que são eleitos e têm mandato de dois anos).

Irina Bokova é a atualmente a diretora-geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO). Sua oponente é Kristalina Georgieva, vice-presidente da Comissão Europeia e responsável pelo orçamento do grupo de nações.

A campanha tem sido acirrada e tensões políticas entre a Rússia e a Bulgária podem interferir no resultado. Mesmo assim, as duas líderes se mantém mais fortes do que outros candidatos em potencial, como a Ministra de Relações Exteriores da Croácia, Vesna Pusic; o ex-presidente da Eslovênia, Danilo Turk e os antigos Ministros de Relações Exteriores da Sérvia e da Eslováquia, Vuk Jeremic e Miroslav Lajcak, respectivamente. Os dois últimos seriam os nomes mais fortes após as búlgaras. 
As avaliações oficiais dos candidatos pelo Conselho devem começar em julho.