Diplomata acusado de violência contra mulher é exonerado do cargo

O diplomata Renato de Ávila Viana é acusado de agredir várias mulheres nos últimos 15 anos

O Itamaraty decidiu exonerar o diplomata Renato de Ávila Viana, 41. Ele é acusado de agredir mulheres física e moralmente nos últimos 15 anos. A mais recente denúncia partiu de uma ex-namorada, em Brasília.

 (Diário Oficial | Imprensa Nacional/Reprodução)

“Eu posso dizer que eu era agredida semanalmente. Era normal. Eu estava acostumada a ser violentada dentro do carro, com puxão de cabelo, com xingamentos, com frases que me faziam sentir a pior pessoa do mundo”, disse a jovem de 22 anos ao “Jornal da Noite”, da Band.

Segundo ela, a última agressão ocorreu em um motel na capital federal, quando disse que só reataria o namoro se ele procurasse tratamento psicológico. Irritado, Viana começou a esmurrá-la. A jovem conta que pediu ajuda aos funcionários do estabelecimento, mas, em seguida, foi atingida por Ávila com uma cabeçada. A vítima, que não quis ser identificada, afirma que perdeu um dente.

A VEJA, a defesa do diplomata, Dênia Erica Gomes Magalhães, negou as acusações. Disse ainda que ele está em férias e que não comentará a acusação mais recente, pois o caso corre em segredo de Justiça.

Confira aqui a publicação no Diário Oficial.