Deputada trans assume cargo na Alemanha e luta para manter nome social

É a primeira vez que uma mulher transgênero vai ocupar um assento em uma instituição política alemã

Tessa Ganserer foi reeleita deputada no Parlamento Regional da Baviera, na Alemanha, e quer assumir seu mandato com seu nome social e não como Markus Ganserer, nome com que foi registrada ao nascer.

Com cerca de 40 anos, a deputada anunciou sua transição de gênero há algumas semanas nas redes sociais. Porém ela deve se pronunciar nesta segunda-feira (14) para falar sobre a alteração de nome na identidade.

Leia também: STF autoriza troca de nome em documentos de transexuais
Mãe é presa por vender filho de 12 anos por R$ 5 000

Logo após sua reeleição, Tessa fez um post em seu Facebook anunciando que deixava de ser Markus Ganserer no Parlamento. “Eu sou uma mulher em todas as fibras do meu corpo e agora também uma senhora deputada regional”, disse ela em sua publicação.

Como o parlamento de Baviera é muito conservador, a decisão da deputada não passou despercebida. Porém, a presidente da União Social Cristã (CSU), Ilse Aigner, deu forte apoio a Tessa. “A senhora Ganserer tomou uma decisão muito corajosa e eminentemente pessoal”, disse ela.

A deputada será registrada como mulher na primeira sessão plenária do ano, que acontecerá no dia 23 de janeiro. Quanto aos documentos de identidade, Tessa terá de esperar um pouco mais de tempo.

Em novembro de 2018, ela conseguiu um certificado médico de um psiquiatra certificando sua transexualidade. Isso é muito importante pois a lei alemã estipula que são necessários dois exames para poder aspirar a uma mudança de nome no registro civil.

Siga CLAUDIA no Instagram