Como fazer a sua mala de viagem para o inverno

Na hora de organizar a bagagem, sempre surge a dúvida do que levar - e aquele famoso "esqueci alguma coisa?". Conversamos com uma especialista no assunto para você ter um guia e fazer um checklist antes de colocar o pé na estrada

A estação mais fria do ano vem por aí e, com ela, férias e alguns feriados! Entrevistamos Elizabeth Abreu, gestora de estilo da Scene, Grupo Malwee, para contar o que você não pode esquecer de colocar na mala – e como fazer tudo caber lá dentro!

Tempo frio é sinônimo de muita roupa?

Não. “Hoje em dia existem peças específicas para o frio, que são mais leves e, ao mesmo tempo, mantêm a temperatura do corpo, como as capas quebra vento e moletons com o lado interno felpado”, explica Elizabeth.

Para as calças, prefira modelos montaria com tecidos tecnológicos que esquentam sem impedir os movimentos. Além dos produtos específicos com proteção térmica para o frio extremo ou neve.

Nacional X internacional

Existem métodos diferentes de preparo quando se trata de uma viagem nacional e uma internacional. Com exceção de algumas regiões do sudeste e sul do país, não temos nada parecido com o frio europeu e de alguns países da América Latina.

“Para destinos nacionais, o ideal é levar as roupas menos quentes. Os casacos de nylon são à prova de vento e melhores que os de lã, já que possuem a trama do tecido mais fechada. Também são ótimos para sobreposições sob moletom mais leve ou suéter de lã”, comenta a consultora. 

Em destinos fora do Brasil, invista em boas meias e legging para usar por baixo do jeans, por exemplo. E a consultora faz o alerta: “Lembre-se que, ao entrar em um lugar fechado com calefação, vai estar bem quentinho – o que significa que vai ter que tirar todas aquelas camadas de roupas. Então, esteja preparado com looks adequados por baixo”.

Transporte

Jaquetas de tecidos que amassam, ou as mais longas, devem estar abotoadas e podem ser colocadas no fundo da mala abertas com as mangas cruzadas na frente. Já as mais leves, do tipo “capinhas”, e de tecidos tecnológicos, como nylon e sarjas, são resinadas e não amassam com facilidade. “É só dobrar as laterais com as mangas e começar a enrolar de baixo para cima. Elas devem ser colocadas por último na mala nos espaços entre as roupas”, é a dica.

Já para casacos mais pesados como os de lã, ou os de nylon forrados, ou com manta térmica; a melhor opção são aqueles sacos compactadores, que diminuem consideravelmente o volume dessas peças.

Calçado: o que pode, não pode e não deve faltar

No caso dos sapatos, o conforto vem em primeiro lugar. “É um hábito bem comum em muitas cidades da Europa e América Latina que os habitantes e turistas façam sua locomoção a pé”, comenta. “Aposte em saltos médios e baixos, nas botas de cano curto (aproveite que estão em alta nesta temporada) ou sapatos casuais de solado grosso. Já para os mais aventureiros, o ideal mesmo são os tênis esportivos”.

Rapidinha: o que mais eu preciso saber antes de fechar a mala?

Planeje-se

“Uma boa técnica é montar todos os looks possíveis ainda em casa e tentar levar peças que combinem entre si. Assim, com poucas peças, você poderá fazer muitas combinação de roupas.”

Tempo

“Sempre cheque a previsão do tempo para evitar surpresas desagradáveis.”

2 pra 1

“Para compor a mala perfeita é necessário otimizar os looks, então pense sempre na conta: duas partes de cima (blusas, jaquetas…) para cada parte de baixo (calça, saia…).”            

Casacão

“Os casacos, assim como as partes de baixo e os sapatos, podem ser repetidos. Alterne os dias e use em combinações diferentes para não cansar. Limite-se nas combinações de cores e estampas, deixe aquelas cores mais vibrantes e estampas marcantes para os tops e acessórios (como lenços e bolsas).

Nas partes de baixo, mantenha as cores escuras como preto e marinho.

Para o jeans, também prefira as lavagens mais escuras e sem tantos detalhes.”

Para uma viagem de 4 dias (na Argentina, por exemplo):

– 1 jeans;

– 1 legging preta;

– 1 calça sarja escura;

– 1 casacão impermeável e quente (lã ou nylon);

– 1 jaqueta de couro;

– 1 blusão leve de moletom ou suéter de lã;

– 1 “capinha” corta-vento/chuva;

– 2 camisetas algodão;

– 2 blusas básicas;

– 1 blusa arrumadinha;

– 1 saia ou vestido noite;

– Bota;

– Tênis caminhada;

– Sapato noite;

– Pijama;

– Calcinha, sutiã e meias;

– Meia calça grossa;

– Cachecol, luvas, chapéu e óculos de sol;

– Cinto, brincos, anéis, colar e relógio;

– 1 bolsa pequena noite.

Para uma viagem de 2 semanas durante o inverno europeu:

– 2 jeans (um modelo skinny e outro com a barra mais reta ou flare);

– 1 legging preta ou calça montaria;

– 2 calças de sarja de cores ou texturas diferentes (ex: uma resinada escura e a outra de cor neutra);

– 1 casacão impermeável de nylon (preferencialmente com manta térmica);

– 1 Trench Coat ou casaco mais alongado de lã;

– 1 Jaqueta de couro;

– 1 “capinha” de nylon impermeável;

– 3 suéteres de lã ou moletom;

– 1 tricot pesado oversize;

– 4 camisetas algodão;

– 4 tops de malha;

– 1 top noite;

– 2 vestidos (um de malha para usar de dia com meia grossa e o outro para um look noite);

– 2 Botas (uma cano longo e a outra cano curto com saltos confortáveis);

– Tênis caminhada;

– Sapato salto baixo estilo mocassim ou oxford;

– Sapato noite (pode ser o clássico scarpin ou um abotinado bem moderno);

– Pijama;

– Calcinha, sutiã e meias;

– Meia calça grossa;

– Cachecol, luvas, chapéu e óculos de sol;

– Cinto, brincos, anéis, colar e relógio;

– 2 bolsas (uma bolsa utilitárias para os passeios diurnos e uma pequena para noite);

– Extras: gorro de lã, protetores de orelha e meias calças ou legging térmicas.

Última dica:

“E se esquecer de algo, lembre-se:  você sempre poderá encontrar peças bacanas e únicas em qualquer lugar do mundo!”

E boa viagem!