CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR R$ 14,90/MÊS

Chris Pratt, de Jurassic World, não vê problema em ser homem-objeto. E nem em mulheres-objeto

O ator americano tem uma opinião no mínimo controversa sobre a questão da igualdade de gêneros

Por Tatiana Schibuola Atualizado em 22 out 2016, 16h39 - Publicado em 19 jun 2015, 20h51
O bonitão Chris Pratt, que já viveu o barrigudinho Andy Dwyer da série Parks and Recreation, admitiu em entrevista ao Canal 4 da rádio BBC, que seu “novo” corpo, mais leve e esculpido por músculos definidos e tanquinho invejável, é o responsável por suas recentes conquistas profissionais, como os papéis principais em Jurassic World e Guardians of the Galaxy. E que isso o faz sentir-se, sim, como um objeto, assim como sempre aconteceu com as mulheres.
E então, resolveu “sair em defesa” do gênero feminino. Ele se prontificou a esclarecer que não se sente incomodado em ser só um corpinho bonito. E acha que as mulheres também não deveriam ficar. “Lindas mulheres fizeram carreira em torno disso”. Para ele, o problema maior está longe disso. É a desigualdade no tratamento de gêneros. E, mesmo bem intencionado, arrematou desastradamente: “Por um longo tempo, apenas mulheres foram objetificadas. Mas acho que se realmente quisermos defender a igualdade, não é importante que menos mulheres sejam vistas como objetos, mas que os homens sejam vistos assim mais frequentemente.” Sério, Chris?
Pelo visto, o ator dificilmente encontrará em sua carreira papéis que exijam mais que uma montanha de músculos… 
Publicidade