Charlotte Rampling: “Boicote ao Oscar é racismo contra os brancos”

Atriz britânica se opõe à ideia de cotas para negros na premiação

A atriz britânica Charlotte Rampling, 69, afirmou, na última sexta-feira (22), que o protesto do diretor Spike Lee contra a falta de diversidade entre os concorrentes ao Oscar é “racista contra os brancos”.

Tudo começou quando Lee (de “Malcom X”, “Faça a Coisa Certa”) anunciou, em um texto publicado no Facebook na segunda (18), que não irá à premiação em 28 de fevereiro. Este é o segundo ano consecutivo que a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas não inclui atores negros entre os concorrentes ao prêmio. “Nós não podemos apoiar isso”, escreveu. Após o anúncio da lista de nomeados deste ano, a hashtag #OscarsSoWhite (Oscar muito branco) começou a circular na internet.

Indicada ao Oscar de melhor atriz por “45 anos”, Rampling disse em em entrevista ao canal francês Europe 1 que não entende a ideia do boicote da cerimônia. “Isso é racismo contra os brancos. É difícil saber se é o caso, mas pode ser que os atores negros não merecessem estar na reta final”, afirmou a atriz .

“Por que classificar as pessoas? Vivemos em países onde somos mais ou menos aceitos… Mas sempre haverá problemas e [gente que diga] ‘ele é menos bonito’, ‘ele é negro demais’, ‘o outro é branco demais’… Por isso é preciso criar milhares de pequenas minorias em todo canto?”, questionou. Quando lhe pediram para precisar sua opinião, Rampling deu por finalizado o assunto com um “no comment” (sem comentários).

Em um comunicado divulgado na terça (19), a presidente da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas dos EUA, Cheryl Boone Isaacs, que é negra, se disse “triste e frustrada” pelo o que está acontecendo.