Aplicativos de paquera geraram aumento em casos de HIV entre adolescentes

Estudo da ONU revelou que o uso de aplicativos de namoro é um dos principais fatores para epidemia de AIDS entre jovens

Uma nova pesquisa elaborada pela ONU apontou que o aumento no uso de aplicativos de paquera é um dos principais fatores responsáveis por uma nova epidemia de HIV entre jovens homens gays. O estudo foi divulgado pela Unicef (braço das Nações Unidas para infância e juventude).

O foco da pesquisa, divulgada nesta semana, é a região da Ásia-Pacífico, que inclui países como China, Japão, Indonésia e Tailândia, além de países da Oceania. Só a região concentra metade do 1,2 bilhão de adolescentes do mundo. O estudo revelou que a área enfrenta uma “epidemia oculta” de HIV entre jovens de 15 a 19 anos. Houve 50 mil novos casos nessa faixa etária em 2014, o que representa 15% das infecções registradas na região no período. Apenas nas Filipinas, os registros absolutos anuais passaram de 800 para 1.210 entre 2010 e 2014, um salto de mais de 50%.

Após dois anos de estudo, a instituição concluiu que os aplicativos de paquera para celular elevaram as ocorrências de sexo casual em uma escala sem precedentes. “A explosão de aplicativos de paquera gay para smartphones expandiu como nunca as opções para sexo espontâneo casual – usuários dos aplicativos móveis na mesma vizinhança (quando não na mesma rua) podem se localizar e marcar um encontro sexual imediato com apenas alguns toques na tela”, afirma o relatório da pesquisa.

Apesar de as confirmações de HIV positivo estarem caindo, os índices vêm avançando entre alguns segmentos específicos da população da região, como jovens homens gays, homens que se relacionam sexualmente com homens, jovens que fazem sexo por dinheiro, jovens usuários de drogas injetáveis e jovens transgênero.

Segundo o Unicef, essa tendência coincide com um aumento no comportamento de risco, como envolvimento sexual com múltiplos parceiros e uso irregular de preservativos. “Jovens homens gays nos afirmaram com frequência que agora estão usando aplicativos de paquera para encontros sexuais, e que estão tendo mais sexo casual em decorrência disso. Sabemos que esse tipo de comportamento de risco aumenta a disseminação do HIV”, afirmou Wing-Sie Cheng, consultor do Unicef para HIV/Aids no leste da Ásia e Pacífico, ao jornal britânico The Guardian . “Estamos convencidos de que existe uma relação (entre uso de aplicativos e aumento nos casos de HIV), e que precisamos trabalhar melhor com os provedores de aplicativos para compartilhar informação sobre HIV e proteger a saúde dos adolescentes”, completou Cheng ao jornal britânico.

Embora o estudo da Unicef não aborde o Brasil, dados oficiais mostram que a incidência de infecção por HIV está aumentando entre jovens de 15 a 24 anos. Segundo o Ministério da Saúde, o índice por 100 mil habitantes passou de 9,6 em 2004 para 12,7 em 2013. Foram 4.414 novos jovens detectados com o vírus em 2013, ante 3.453 em 2004.