Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Aos 5 anos, filha de escritora feminista recebe ameaças de estupro

"Eu não devia precisar temer pela segurança dos meus filhos porque eu escrevo sobre feminismo", defendeu a autora de bestseller Jessica Valenti, que decidiu abandonar as redes sociais.

Por Redação CLAUDIA Atualizado em 28 out 2016, 00h40 - Publicado em 28 jul 2016, 15h39

“Eu não tenho que temer pela segurança da minha filha porque escrevo sobre feminismo” tuitou Jessica Valenti na quarta-feira (27). Jéssica é colunista de sucesso da versão americana do jornal The Guardian, autora de 5 livros – seu último, Sex Object: A Memoir (Objeto sexual: livro de memória, em porutugês) está na lista dos mais vendidos da lista do New York Times – e voz ativa nas redes sociais. 

Por seu trabalho girar em torno do feminismo, ameaças e declarações abusivas fizeram parte de sua rotina ao longo dos anos. Mas a situação parece ter extrapolado todos os limites quando o alvo da violência se tornou sua filha. “Esta manhã eu acordei com uma ameaça de estupro e morte direcionada para minha filha de 5 anos de idade. Isto fazer parte da minha vida é inaceitável”, disse em outro tweet. 

Em uma série de outros posts na rede social, ela continuou seu desabafo. “Estou cansada dessa merda. Cansada de falar o tempo todo o quanto estou com medo, cansada de me dizerem ‘me ch**a'”; “Eu não devia precisar temer pela segurança dos meus filhos porque eu escrevo sobre feminismo”; “Eu não devia precisar passar por horror para dar conta do meu dia. Ninguém devia precisar disso.”; “Eu posso ligar com muitas coisas. Eu aturei muito abuso ao longo dos anos. Mas meus filhos? Não.”

E então, ela anunciou que está largando as redes sociais por um tempo. “A aplicação da lei precisa se organizar para cuidar das ameaças online. As redes sociais precisam fazer alguma coisa.”; “Nesse meio tempo, eu vou dar um tempo nas redes sociais. Eu não sei quanto tempo. Eu só sei que eu não posso viver desse jeito. É demais.”

Ela não é a primeira vítima de ataques nas redes sociais – e, certamente, não será a última. No último mês, atriz Leslie Jones, em cartaz nos cinemas com Caça-Fantasmas, e a cantora Preta Gil foram vítimas de racismo na internet – a primeira saiu do Twitter, mas já voltou, e a segunda prestou queixa na delegacia após ter seu Facebook invadido por mensagens preconceituosas.  

Continua após a publicidade
Publicidade