Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

8 dicas para navegar de modo seguro na internet com seu filho

A volta às aulas dos pequenos significa estudos e trabalhos, mas você já os ensinou a usar a internet com segurança? Separamos algumas dicas para você!

Por Da Redação - Atualizado em 14 ago 2017, 12h26 - Publicado em 31 jul 2017, 16h55

Quando se trata de pesquisas escolares, a internet certamente facilita a vida não só dos filhos mas também dos pais. Sites de busca são cada vez mais intuitivos e, quando colocadas as palavras-chave certas, eles podem trazer um mundo de possibilidades.

No entanto, o que parece ser uma busca simples – como a procura por alguma imagem que represente o conteúdo de aulas de biologia – pode acabar levando a sites não recomendados para crianças e gerando desconfortos.

Para Rodrigo Nejm, diretor de educação da Safernet, instituição que promove os direitos humanos na internet e parceira do Dialogando (iniciativa da Vivo para a promoção do debate sobre o melhor uso das tecnologias), navegar com os filhos ainda é uma boa saída não só para aumentar o conhecimento sobre a vida digital das crianças como também para criar sintonia. “Proibir não educa, pois não cria capacidade crítica nem ajuda a desenvolver habilidades de segurança”, comenta Nejm.

Nejm alerta que “o maior desafio é criar a maturidade para o autocuidado; assim as crianças podem ir ganhando maior liberdade no uso, conforme demonstram responsabilidade dentro dos limites acordados com os pais”.

Continua após a publicidade

Além dessa proximidade que os pais devem buscar ter com os filhos, alguns mecanismos online (como a ferramenta de busca segura) e aplicativos podem ajudar a evitar que transtornos aconteçam.

Kiddle, por exemplo, é um site de busca criado em parceria com o Google, voltado especialmente para as crianças, cujo principal diferencial é o motor de busca que filtra e bloqueia conteúdos adultos, desde matérias até sites impróprios para os pequenos. Já o Vivo Filhos Online possui filtro inteligente para proteger os usuários de sites inseguros ou perigosos, que podem passar despercebidos por programas de monitoramento mais simples.

Confira mais algumas dicas para a promoção de uma navegação mais segura:

1 – O primeiro passo é estar junto dos filhos sempre que possível na hora de navegar no universo digital. Por meio do diálogo, alerte-os sobre os possíveis perigos a que estarão expostos e aconselhe-os.

Continua após a publicidade

2- Mesmo que o dispositivo seja um tablet ou smartphone, prefira que a criança mexa no aparelho em um lugar de uso comum da casa, e não no quarto.

3- Opte por usar sites de busca recomendados para determinadas faixas etárias, como o Kiddle.

4- Caso esteja em um site que não possui limite de idade, procure pelos mecanismos de busca segura, que existem na maioria dos buscadores.

5- Outra medida interessante é instalar um software de controle parental (tanto no computador quanto no tablet e smartphone). Com ele, você pode estabelecer quais páginas seu filho pode ou não ter acesso. Há aplicativos como o Vivo Protege, que permitem a criação de diversas contas e personalização de regras para os filhos – ele ainda envia um relatório de atividades aos pais e também alertas caso os pequenos naveguem em áreas perigosas.

Continua após a publicidade

6- Peça que não baixem arquivos ou aplicativos estranhos e que chamem a atenção porque podem ser spams ou vírus.

7- Seja transparente com seus filhos: conte que está fazendo isso pela segurança deles e explique os motivos. Além disso, incentive-os a falar sobre o que fazem ou veem na internet, principalmente se for algo ameaçador ou que os deixe constrangidos.

8- Caso ainda tenha dúvidas ou precise de qualquer orientação, acesse o Canal de Ajuda da Safernet Brasil.

Publicidade