6 mudanças de hábitos que ajudam na busca pela felicidade

A felicidade não deve ser uma meta, pelo contrário, pode ser construída ao longo dos dias. Saiba como

A felicidade, muitas vezes, parece estar no campo das ideias, e não na prática. Enquanto para alguns ela se resume a momentos pontuais, para outros ela pode ser um estado constante. Cada pessoa tem a sua própria interpretação dessa palavra.  O fato é que algumas atitudes no dia a dia podem contribuir para essa sensação tão gostosa. Confira algumas delas:

Não deixe mais a cama desfeita

Durante a pesquisa para seu livro, “The Hapiness Project”, ou “O Projeto Felicidade”, a escritora Gretchen Rubin percebeu que arrumar a cama pela manhã era um dos segredos para a sua felicidade. A explicação é bem simples “Isso faz com que tudo fique mais limpo, arrumado. Você consegue achar seus sapatos, seu quarto parece um lugar tranquilo. Para muitas pessoas, a ordem do lado de fora contribui para a calma do lado de dentro”, relatou em seu site. Além disso, ela ainda menciona que completar essa resolução gera satisfação. “Se decide realizar uma mudança, você se apega a isso. Fazer a cama pela manhã é uma das primeiras coisas que se faz na rotina e isso contribui para que comece a o dia se sentindo mais eficiente, produtivo e disciplinado”.

Pare de ficar presa em casa!

Não precisa se obrigar a ir para uma festa ou bar com os amigos, um simples passeio no parque já resolve! Pesquisadores da Universidade de Edimburgo, na Escócia, concordaram que ficar ao ar livre é muito benéfico. Quando a pele é exposta ao sol, o corpo libera óxido nítrico, responsável por combater a pressão arterial elevada e reduzir o risco de doenças cardíacas. Além disso, o contato com a natureza ainda é capaz de melhorar o humor e reduzir o estresse.

Agradeça sempre!

Se você costuma deixar o “obrigado” de lado, é melhor mudar essa história. Além evitar grosserias, incluir a palavrinha mágica no seu vocabulário é capaz de melhorar os seus relacionamentos – e, consequentemente, te fazer mais feliz. Segundo uma pesquisa publicada em 2012 pelo “Journal of Personality and Social Psychology”, o agradecimento entre casais faz com que o cônjuge se sinta apreciado pelo parceiro, fortalecendo a cumplicidade da dupla.

Aprenda a dizer “não”

Você é do tipo que não consegue recusar convites ou negar aquela visita a sua amiga? O medo de magoar as pessoas pode fazer com que você viva em constante infelicidade por estar onde não gostaria. Dizer “não”, de forma polida e se justificando com sinceridade, pode te livrar de momentos desagradáveis e deixar sua vida muito mais leve.

Sorria (ou, pelo menos, finja!) 

Calma, não estamos estimulando a falsidade! Há fundo científico nesse pedido. Os seus músculos faciais dão um feedback neurológico para o seu cérebro. Se você está sorrindo, de verdade ou de mentira, a combinação de músculos que está em uso é associada à alegria e seu cérebro recebe esses sinais. É claro, isso não significa que deve suprimir emoções negativas, as abrir aquele sorriso largo pode funcionar quando precisa se animar.

Não faça da felicidade uma meta

Pesquisadores da Universidade de Denver, nos Estados Unidos, vêm estudando como ter uma meta de felicidade afeta nosso bem-estar emocional. Os resultados mostraram que as pessoas que não estavam estressadas, mas davam mais valor à felicidade eram menos felizes do que as que não valorizavam tanto o sentimento. A lógica é simples: quando se espera mais, é mais fácil sentir-se decepcionado. Os especialistas sugeriram, portanto,  trocar as metas por objetivos a curto prazo e focados em atividades (como meditar ou se exercitar) – não emoções. 

 

%d blogueiros gostam disto: