CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR R$ 14,90/MÊS

Lagerfeld sabia sobre o caso de seu ex-namorado com Saint Laurent

A revelação de um triângulo amoroso no mundo da moda ganha espaço em novo livro.

Por Laís Barros Martins Atualizado em 20 jan 2020, 08h37 - Publicado em 15 ago 2017, 16h10

Foram muitos anos prezando pela privacidade, mas agora Karl Lagerfeld, o lendário diretor criativo da Chanel, resolveu abrir sua história com o namorado Jacques de Bascher para o livro da jornalista francesa Marie Ottavi, o “Jacques de Bascher: Dandy de l’ombre”.

O relacionamento durou 18 anos, nas décadas de 1970 e 80, até que de Basher morreu de complicações decorrentes da aids em 1989, com 38 anos. Apesar disso, nunca houve sexo entre o casal: “Eu amava aquele garoto infinitamente, mas não tivemos nenhum contato físico, embora, claro, eu tenha me seduzido por seu charme”, declarou Lagerfeld.

O livro também relata que o estilista teria passado noites em uma cama ao lado do parceiro no hospital, acompanhando-o até a sua morte e indo inclusive ao funeral, apesar da reputação de nunca participar destas cerimônias. Além disso, ganha destaque a passagem em que Lagerfeld fala sobre a promiscuidade do namorado e seu relacionamento com Yves Saint Laurent: “É claro que eu sabia que ele foi amante de Saint Laurent. Fomos amigos próximos por mais de 20 anos”, disse. No entanto, ele teria preferido fechar os olhos diante desta realidade: “Eu não o responsabilizei. Eu só queria ver o lado positivo de Jacques. Eu não tinha conhecimento do que ele mantinha na sombra. Ele me contava sobre o que fazia quando eu não estava por perto, mas eu não fazia perguntas”, completou.

A autora do livro explica que foi difícil conseguir estas declarações de Lagerfeld, já que ainda é um assunto delicado para ele, mas que teria decidido abrir sua história justamente porque nunca havia feito isso antes: “Ele acompanhou este homem a quem admirava pelo estilo, poder de sedução, espírito e senso de beleza inato, e presenciou seu último suspiro enquanto murchava completamente. É uma provação terrível. O fato de ele ter falado sobre isso é uma coisa muito bonita”, pontuou Ottavi.

 

Continua após a publicidade
Publicidade