Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Fashionistas com mais de 70 anos mostram que estilo não tem idade

Mercado percebe a força da mulher mais velha

Por Gisele Navarro (colaboradora) - Atualizado em 21 jan 2020, 12h10 - Publicado em 2 abr 2016, 12h00

Em um mercado como a moda, tão marcado por padrões rígidos de beleza, magreza e juventude, as últimas temporadas têm trazido mudanças positivas. As grandes marcas finalmente notaram o nicho das mulheres com mais de 60, que possuem maior poder aquisitivo e eram pouquíssimo representadas nas campanhas e passarelas. Gigantes como Celine, Saint Laurent e Marc Jacobs contrataram modelos maduras para publicidade. Em evidência, o estilo das mulheres mais velhas ganhou dois documentários em 2015, Iris – sobre a colecionadora de itens de moda Iris Apfel, 94 anos – e Advanced Style – que mostra fashionistas da terceira idade, retratadas no blog de mesmo nome. Ambos estão disponíveis no catálogo do Netflix. Segundo as divas, o estilo se aprimora com o tempo:

Iris Apfel

Com 94 anos, a decoradora novaiorquina é uma stylist nata. Ela sempre arrasa com composições ousadas e acessórios chamativos. Ela já era queridinha por fashionistas, mas o hype em torno de si aumentou quando o Metropolitan Museum of Art exibiu as roupas incríveis de sua coleção em 2005, na mostra Rara Avis: The Irreverent Iris Apfel. Iris já atraiu entusiastas da moda até no Brasil, em um evento realizado pela Swarovski em 2013. Durante a visita ao país, ela foi a points modernetes como o Beco do Batman, espaço todo grafitado na Vila Madalena, em São Paulo.

Divulgação
Divulgação

Seu bom gosto foi celebrado no documentário Iris:

Continua após a publicidade

 

 

Joni Mitchell

Além de representar o maior interesse da moda por mulheres mais velhas, Joni Mitchell, 71, também é um exemplo da busca por marcas de se associarem a “não-modelos” que agreguem valor pelo conteúdo e intelectualidade. Cantora, artista plástica e poetisa, ela também é considerada uma das melhores guitarristas do mundo de todos os tempos. Em janeiro de 2015, foi o rosto de uma campanha da Saint Laurent e capa da New York Magazine, onde foi apontada como a “musa da temporada”. Atualmente, Joni se recupera de um aneurisma. 

Continua após a publicidade

Divulgação
Divulgação

Christine Yufon

Nascida na China, na década de 20, Christine foi uma das primeiras modelos fora do padrão europeu a fazer sucesso no Brasil. A beldade, porém, não se acomodou somente com a carreira nas passarelas: nos anos 70, já tinha uma escola de etiqueta e uma galeria de arte. Ela também é escultora e designer de acessórios. Quando à frente da marca Neon, Dudu Bertholini a chamou para parcerias, o que lhe rendeu mais reconhecimento entre novas gerações.

Divulgação
Divulgação

Continua após a publicidade

Linda Rodin

Modelo, produtora, editora de moda e empresária, Linda voltou aos holofotes ao estrelar o lookbook da marca The Row, das gêmeas Olsen, no ano passado. Aos 66, ela mantém o porte de top e inspira as mulheres ao assumir seus belos cabelos brancos. Daphne Selfe Recordista: Daphne até foi parar no Guiness Book, por ser a modelo mais velha em atividade. Ela tem 87 anos, e começou a carreira em 1949. Requisitada, fez trabalhos recentes para marcas como Dolce & Gabbana, Moschino, Nivea e Gap.

Divulgação
Divulgação

Elke Maravilha

Continua após a publicidade

Aos 70 anos, a performer segue fiel ao seu estilo ultra exuberante. A carreira de modelo bombou mesmo na década de 70, mas, por conta de sua ousadia no visual, ela ainda é chamada para participar de eventos fashion. Neste ano, estrelou a campanha do estilista mineiro Lucas Magalhães, e usou seus próprios acessórios para arrematar os looks.

Divulgação
Divulgação

Cher

Ícone fashion desde sempre, Cher arrasou na campanha outono/inverno 2015/16 de Marc Jacobs, em look do desfile inspirado na lendária editora Diana Vreeland. Além de posar para a marca, a cantora também contou em vídeo o que a mais inspira. Muito diva!

Continua após a publicidade

Divulgação
Divulgação

 

 

Publicidade