Taís Araújo sobre ‘Viver a Viva’: Me sentia em uma areia movediça

Atriz revelou que não se sentia confortável quando interpretava a protagonista Helena na trama de Manoel Carlos

Nem sempre ser protagonista de uma novela das 21 horas da TV Globo é sinônimo de realização. Até mesmo quando se trata de ser uma “Helena” em tramas do Manoel Carlos. Foi assim para Taís Araújo, 38 anos, em 2009, quando estrelou Viver a Vida.

Em conversa no programa Saia Justa, exibido na GNT na quarta-feira (12), ela contou que se sentia impotente ao longo das gravações da novela. “Criei uma expectativa, eu queria muito, achei que era a grande chance da minha vida. Até foi,  foi porque depois dessa novela mudei muito. Foi muito importante aquela situação, disse a atriz. Foi muito difícil”, revelou.

“Aquele texto não me dizia nada, eu me sentia a professora do Snoopy”, desabafou, em referência aos personagens adultos do desenho Peanuts que emitiam grunhidos ao invés de palavras compreensíveis. “A personagem não era legal, eu também não fiz bem e não sei se tinha como fazer”, contou, “Me sentia em uma areia movediça, patinei até o fim”.

Em Viver a Vida, Helena era uma modelo que se envolvia com Marcos (José Mayer), desagradando a esposa Teresa (Lilia Cabral) e as filhas dele Luciana (Alinne Moraes), Isabel (Adriana Birolli) e Mia (Paloma Bernardi). Após um acidente, Luciana fica tetraplégica. A trama da jovem e seu relacionamento com Miguel (Mateus Solano) se mostrou mais interessante e ofuscou a história da protagonista.