Ser mãe ensina como não ser individualista, diz Deborah Secco

Atriz precisou se separar da filha pela primeira vez para filmar o seu novo filme e abdicou de levá-la às gravações para não prejudicar a rotina da menina

Quando as mães retornam às suas atividades do trabalho, um dos sentimentos que ficam bastante perceptíveis é a saudade dos filhos, nos primeiros dias de adaptação. E é justamente por essa fase da maternidade que a atriz Deborah Secco, 37 anos, está passando.

Com as filmagens de seu novo filme, Mulheres Alteradas, a atriz teve que se separar e ficar distante de sua filha, Maria Flor, 1 ano, pela primeira vez. “Já chorei muito, horrores. Combinei que a Maria não vai comigo para não mexer em sua rotina” disse a atriz em entrevista ao portal Glamurama.

Leia mais: Déborah Secco e Maria Flor recebem ameaça na internet

Na produção, Deborah também será mãe – de gêmeos – e comparou sua personagem consigo. ‘“Ela é muito mãezona, segura a barra de todo mundo, confia em todo mundo. Acumula problema de todo mundo. Me identifico com isso. Hoje tenho que equilibrar vários pratinhos aos mesmo tempo.

Questionada sobre os desafios que se deparou durante a experiência de ser mãe, Deborah disse que a educação da filha tem sido o maior deles. “É muito difícil educar, fazer com que um filho seja amoroso, generoso, saiba dividir. Sou uma mãe liberal, mas ao mesmo tempo penso ‘até que ponto pode tudo?’ Gosto da criança livre para brincar, se sujar. Se quebrou ou bagunçou, tudo bem. Mas é bom ter um contraponto. A Maria só faz o que ela quer, mas é muito calma e amorosa. Dificilmente desobedece.”

Leia mais: Dicas para superar a volta da licença-maternidade sem dramas

Porém, apesar das dificuldades, a maternidade é uma experiência muito válida na opinião da carioca porque ensina às pessoas a deixarem de ser individualistas. “Ser mãe me mostrou a não me perder no centro da vida. A gente coloca outra pessoa no centro, e faz escolhas pensando no que é melhor pra ela. Essa generosidade é muito boa de se sentir.”