Roberta Rodrigues fala sobre tragédia no Morro do Vidigal e faz apelo

A atriz chamou a atenção das autoridades para o fato de que novos deslizamentos estão prestes a acontecer no Vidigal. Duas pessoas já morreram.

As chuvas no Rio de Janeiro estão ocasionando tragédias e fazendo vítimas essa semana. No Morro do Vidigal, no Rio de Janeiro, um deslizamento de terra acabou causando duas mortes. Agora, os moradores da comunidade estão chamando a atenção para pedras enormes que podem vir a cair, atingindo casas.

Frente a isso, a atriz Roberta Rodrigues, a Doralice de “Segundo Sol”, fez um apelo às autoridades nessa sexta-feira (8). Através do Instagram, ela postou vídeos falando sobre a iminência dessa nova tragédia.

“Ainda tem muitas pedras para rolar no Vidigal. A gente precisa muito que as autoridades venham até aqui. As casas estão caindo, as pessoas estão desabrigadas. Olha que loucura, gente, é o clarão de uma pedra que rolou e tem uma outra pedra que está para rolar, e se rolar chega até a metade do Vidigal”.

Visivelmente abalada, Roberta postou três vídeos de apelo quanto à questão das pedras. “Se tiver mais uma chuva, a qualquer momento essas pedras podem rolar e a gente está de mãos atadas”, diz a atriz, que nasceu no Vidigal.

View this post on Instagram

SOS VIDIGAL

A post shared by Roberta Rodrigues (@rorodrigues) on

View this post on Instagram

Eu IMPLORO 📿

A post shared by Roberta Rodrigues (@rorodrigues) on

View this post on Instagram

SOS VIDIGAL

A post shared by Roberta Rodrigues (@rorodrigues) on

Depois disso, Roberta também registrou a chegada da Defesa Civil à comunidade. Nesse vídeo, ela fez um alerta sobre a importância de saber os números de telefone do órgão, para que as pessoas possam pedir ajuda.

Na noite anterior, Roberta postou um outro vídeo falando a respeito da situação dos moradores do Vidigal. Ela conta  que muitas famílias perderam praticamente tudo por conta da chuva.

Também divulgou uma conta bancária em que as pessoas podem fazer doações às vítimas da enxurrada, o telefone da Associação de Moradores do Vidigal e até o endereço da mãe dela, que ainda mora na comunidade.