Rihanna ganha prêmio humanitário Harvard e faz o melhor discurso

Que Rihanna é sucesso absoluto na música e na moda nós já sabemos, mas a cantora recebeu um prêmio também por seu lado humanitário.

Todos os anos, a Universidade de Harvard seleciona uma pessoa que têm se dedicado à projetos humanitários para receber o Peter J. Gomes Humanitarian Award e, nesse ano, a honraria foi para Rihanna. 

Conhecida por suas músicas e suas parcerias no mundo da moda, a cantora ganhou reconhecimento por um lado seu que talvez não seja tão visto quanto os outros, mas que merece grande destaque. Seu trabalho na Fundação Clara e Lionel (batizada em homenagem aos avós da cantora), que promove a educação no Caribe e ajuda estudantes locais a fazerem faculdade nos EUA foi apenas um dos motivos pelos quais Rihanna subiu ao palco da Universidade ontem (28).  em tempo, a renda das camisetas feministas da Dior vão ter parte da renda revertida para a instituição da cantora!! 

Ela começou seu discurso com um hairflip digno de rainha dizendo “Então, eu cheguei à Harvard”, o que fez com que todos aplaudissem e rissem da cantora.

gif Rihanna discurso Harvard

 (/)

Ela também contou que, quando criança, assistia aos comerciais beneficentes e pensava: ‘Quando eu crescer e ficar rica, salvarei crianças do mundo todo”, disse. “Eu só não sabia que conseguiria fazer isso ainda quando adolescente”. Rihanna tinha apenas 18 anos quando se engajou em projetos humanitários.

Entre palavras inspiradoras, a cantora também disse que para ela “ser humanitário” é ajudar uma pessoa sem esperar nada em troca. “As pessoas fazem parecer muito difícil, mas a verdade é que você não precisa ser rico para ser humanitário, para ajudar alguém. Você não precisa ser famoso e nem ter o ensino superior completo”, disse.

Rihanna também apoia a Global Partnership for Education e a Global Citizen Project, campanhas que visam garantir acesso a educação a crianças em mais de 60 países. Além de ter construído um centro de excelência de oncologia e medicina nuclear para diagnosticar e tratar câncer de mama no hospital Rainha Elizabeth, em Bridgetown, Barbados”, disse o diretor da Fundação Harvard, S. Allen Counter, em nota.

Riri é rainha!