“Resolvi ser livre”, conta Chris Flores sobre demissão

Longe das telinhas desde o mês de abril, a jornalista e apresentadora optou por adiantar o encerramento de seu contrato com a Rede Record.

Com 11 anos de casa, a jornalista e apresentadora Chris Flores pôs fim no seu contrato com a Rede Record, cuja validade era até o mês de dezembro. Longe das telinhas desde o mês de abril, ela optou por adiantar o encerramento. “Queria as rédeas da minha vida. O contrato da Record me prendia em tudo: não podia fazer rádio, televisão, nem internet. Para tudo, precisava pedir autorização”, justificou em entrevista concedida a Veja São Paulo.

Leia mais: Chris Flores relembra trajetória profissional.

Ainda sem nenhum convite à vista, exceto a próxima edição do reality “Troca de Família”, que será gravado no ano que vem, Chris manteve seu blog e canal no Youtube atualizados durante o período em que ficou afastada. “Estava insegura de pedir demissão nesse momento de crise, insegura, com medo de ficar parada. Mas já me falaram de tantas vagas que estou ficando mais tranquila”, comentou.  

Veja também: Chris Flores conta os benefícios de aproximar o filho, Gabriel, da natureza.

A apresentadora ainda assegura que deixou a emissora com as portas abertas, sem mágoas ou rancor: “Estava estagnada. Não podia ficar só pensando no salário. Eu não tinha nada no horizonte. É como casamento: ninguém toma a decisão de cair fora. E eu resolvi ser livre. Sair de portas abertas é a melhor coisa. Não queria fazer leilão, sabe? Chegar lá com um convite de outro lugar e ficar negociando. Acho isso falta de ética.”

Leia mais: História real: a mulher que abriu mão da maternidade para criar o filho do irmão.

Mas as fãs de Chris nas telinhas podem ficar tranquilas, sua participação na próxima edição do reality foi confirmada pela própria apresentadora: “Cheguei e disse que precisava ser livre, que precisava voar. A única conversa que mantivemos foi sobre a próxima temporada do Troca de Família. Me disseram que poderíamos negociar um contrato específico para o programa. Assim é melhor, não tem essa angústia de ficar presa em um contrato.”