Clique e assine Claudia a partir de R$ 5,90/mês

Pabllo Vittar se emociona com relato de bullying vivido na escola

Cantora ainda conta como sua mãe foi decisiva para que a artista conseguisse superar o trauma de violência

Por Da Redação - Atualizado em 2 set 2018, 12h45 - Publicado em 2 set 2018, 12h43

A cantora Pabllo Vittar deu um emocionante relato sobre um episódio de bullying em que viveu na infância e como sua mãe foi decisiva para que a artista conseguisse superar o trauma de violência.

Em entrevista ao apresentador Serginho Groisman, no programa Altas Horas, da Rede Globo, Pabllo contou que durante o ensino fundamental sofreu preconceito e episódios de agressão no ambiente escolar. O caso ocorreu em uma escola em que a cantora estudou da quinta a sétima série, no estado do Pará, logo no primeiro dia de aula da artista em sua trajetória por lá.

“Eu era uma criança gordinha, afeminada do cabelo grande. E foi muito difícil. No primeiro dia eu cheguei supercontente para fazer amigos novos. Mas me bateram. E foi horroroso porque eu não tinha a quem recorrer: os professores e a diretora não faziam nada.”

Impactada com a violência, Pabllo pensou em desistir de frequentar o colégio. Porém, sua mãe a incentivou a continuar. “Eu lembro de ter chegado em casa falando para minha mãe que não queria ir mais para a escola. E ela falou: você vai sim. Sua vida inteira vai ser desse jeito. Se você se esconder, vai ser pior”, contou a cantora em meio a lágrimas.

Ainda no programa, Pabllo também mostrou o quanto a mãe serve de inspiração para a artista e segue sendo seu apoio até hoje – especialmente no que se refere a aceitar a filha e ser livre de preconceitos. “Eu tenho muito orgulho de ter nascido na família da dona Verônica Rodrigues, que é minha mãe, que sempre me aceitou e me amou. Ela me criou e  minhas duas irmãs sozinhas no interior do Pará (…) Ela é meu alicerce, ela estava muito a frente do tempo dela

Leia mais: Como identificar se seu filho pratica bullying na escola

Continua após a publicidade
Publicidade