Consuelo Blocker: “Há prós e contras em ser filha da Costanza”

À ESTILO, a dupla relembra suas histórias de moda e fala sobre a relação entre mãe e filha, comparações e cumplicidade.

É evidente que a consultora de moda Costanza Pascolato influenciou a relação com a moda de sua filha, Consuelo Blocker, mas ser herdeira de uma mulher que é um dos maiores símbolos de elegância do país nem sempre é fácil. “Há prós e contras em ser filha da Costanza. A vantagem é ter no meu celular os contatos das pessoas mais importantes da indústria. A comparação é a desvantagem”, diz. Então, teria sido mais cômodo ter escolhido arquitetura, economia, cinema etc. Só que não. Além da paixão pelo mesmo tema, ambas comungam de duas características em suas personalidades: coragem e determinação. Quando tomam uma decisão, apostam nela todas as suas fichas.

Durante a sessão de fotos para esta reportagem, uma de costas para a outra, houve uma análise maternal: “esse é o jeito que a gente vive: longe, mas muito perto”. As duas moram em países diferentes há 35 anos, desde que Consuelo foi aprovada no curso de relações internacionais da Brown University, no Estados Unidos.

Se não foi uma mãe tão presente quanto a filha gostaria, Costanza se tornou uma avó exemplar. No mínimo uma vez por dia fala “com as crianças”, a quem sempre visita e para as quais ainda banca a faculdade. “Olha, custou muito para que eu retomasse a cumplicidade com a minha filha depois da minha separação. Hoje vivemos o melhor momento da nossa relação”, afirma madame Pascolato.

Costanza usa pulseiras Tiffany & Co. e jaqueta Fendi. As demais peças são acervo pessoal.

Costanza usa pulseiras Tiffany & Co. e jaqueta Fendi. As demais peças são acervo pessoal. (/)

Para ver o texto na íntegra e o editorial completo, adquira a edição de maio da ESTILO.

Edição de moda: Fábio Ishimoto. Beleza: Edu Hyde. Assistentes: Caio Toledo e Charles Willy (fotos) e Mari Squilante (beleza).