Clique e assine Claudia a partir de R$ 5,90/mês

Cinco mulheres famosas relacionadas ao empoderamento feminino

Emma Watson, Angelina Jolie e Lea Michelle são algumas das mulheres que lutam pela causa feminista.

Por Manuella Menezes (colaboradora) - Atualizado em 21 jan 2020, 16h19 - Publicado em 16 dez 2015, 15h42

Empoderamento feminino é o assunto do momento.

Seja em Hollywood, com atrizes como Jennifer Lawrence e Patricia Arquette reivindicando salários iguais aos masculinos, seja nas ruas das grandes cidades brasileiras, como a Avenida Paulista, em São Paulo, que foi tomada por manifestantes contra o projeto de lei 5069 – que, entre outras coisas, pode dificultar ainda mais que uma vítima de violência sexual consiga interromper uma gravidez indesejada.

Já que mulheres de todo o globo estão engajadas na busca por direitos plenos, reunimos aqui um time de famosas superpoderosas que também está fazendo a sua parte nessa luta.

Getty Images
Getty Images

Angelina Jolie

Centro para Mulheres, Paz e Segurança 

Entre um filme e outro, a atriz cumpre seu papel como Embaixadora da Boa Vontade do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur). Em visitas a zonas de guerra, já presenciou uma série de situações dramáticas e agora decidiu lutar especificamente pelas mulheres em situação de risco que encontrou pelo caminho. Em parceria com a Escola de Economia de Londres, abriu o Centro para Mulheres, Paz e Segurança, que a partir de 2016 oferecerá um curso de pós-graduação com esse tema. Seu objetivo é aumentar a participação feminina na resolução dos conflitos e acabar com os estupros e a violência sexual em áreas de risco. “Não existe futuro estável em um mundo em que crimes cometidos contra mulheres fiquem impunes. Nós precisamos que a próxima geração tenha uma mente questionadora não só na sala de aula, mas que vá para as ruas ou para os tribunais e faça uma diferença real”, afirma. 

 

Divulgação
Divulgação

Fernanda Yamamoto

Cunhã Coletivo Feminista 

A aproximação começou com um convite do consultor de artesanato Romero Souza para que Fernanda conhecesse, na região de Cariri, na Paraíba, a renda renascença e as mulheres do coletivo Cunhã, que significa “mulher” na língua tupi e é também uma flor comum no local. “Não senti de imediato que iria inspirar uma coleção, mas foi tão marcante e transformador que naturalmente iniciei um trabalho”, conta a estilista. O coletivo tem a missão de fortalecer as mulheres no enfrentamento ao patriarcado, na luta pela igualdade de gênero e na transformação social. As 77 rendeiras colaboraram nas peças do inverno 2016 da marca e algumas estiveram até no desfile do SPFW. “Esse empoderamento é um processo que leva tempo e muita persistência. É muito mais do que capacitá-las para que tenham noções de gestão. É um trabalho social de entendimento do papel dessa mulher dentro daquele contexto, dentro do nosso tempo, dentro do mercado existente, das demandas etc.”

Continua após a publicidade

 

Getty Images
Getty Images

Emma Watson

HeForShe 

Quem poderia dizer que aquela menininha que estreou no cinema como a Hermione da série Harry Potter iria se transformar em uma das grandes defensoras dos direitos das mulheres no século 21? Aos 25 anos, Emma Watson é Embaixadora da Boa Vontade da Agência ONU Mulheres e sua primeira missão foi a divulgação da campanha HeForShe (Ele por Ela). “Deveríamos parar de nos definir pelo que não somos e começarmos a nos definir pelo que somos. Todos podemos ser mais livres e é isso que HeForShe é. Eu quero que os homens comecem essa luta para que suas filhas, irmãs e mulheres possam se livrar do preconceito, mas também para que seus filhos tenham permissão para serem vulneráveis e humanos e, fazendo isso, que sejam uma versão mais completa de si mesmos”, disse no discurso de lançamento da ação, em setembro passado. 

 

Divulgação
Divulgação

Bárbara Paz

Meu corpo, minhas regras

No filme Olmo e A Gaivota (2014), acompanhamos as travessias internas e externas pelas quais passa a personagem Olivia, que se descobre grávida durante os ensaios de uma peça. Em seu discurso de agradecimento ao prêmio de Melhor Documentário do Festival do Rio, a diretora do longa, Petra Costa, defendeu a soberania total das mulheres sobre o próprio corpo. Por isso, recebeu inúmeras agressões na internet, o que fez com que artistas se unissem no vídeo Meu Corpo, Minhas Regras, uma forma de divulgar o filme e apoiar a liberdade feminina. “O filme é um reflexo sobre a condição da mulher e uma ode à vida. A participação da mulher na sociedade deve ser discutida e tudo o que nos envolve, tudo o que enfrentamos para adquirir o nosso espaço. Esse é só começo”, afirma Bárbara Paz, uma das estrelas do vídeo viral. “O Olmo não levanta bandeiras nem contra nem a favor da legalização do aborto, mas levanta a questão: ‘Vamos falar sobre isso?’”, diz a atriz. 

 

Getty Images
Getty Images

Lea Michele

#Actuallyshecan

Além de preparar seu primeiro álbum solo, Louder, a estrela de Glee é um dos principais nomes da campanha Na Verdade, Ela Pode. O foco do movimento é inspirar as jovens nascidas na era digital a explorar seus talentos e ser bem-sucedidas em todas as áreas da vida. “Eu devo meu sucesso pessoal e profissional não só à minha determinação e autoconfiança mas também à educação e ao apoio que tive de pessoas que me ajudaram a perseguir meus objetivos”, disse Lea. A campanha foi concebida pela empresa Allergan, de produtos farmacêuticos, e incentiva meninas e mulheres, por meio da busca de informações, a também cuidar de sua saúde e seu bem-estar.

Continua após a publicidade
Publicidade