Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

“As pessoas me chamam de palhaço na rua”, diz Anderson di Rizzi, sobre personagem em “Amor à Vida”

Ator contou à Contigo! Online histórias da vida e da carreira, além das gravações ao lado de Tatá Werneck no horário nobre

Por Redação M de Mulher Atualizado em 15 jan 2020, 20h22 - Publicado em 14 jul 2013, 21h00

Anderson Di Rizzi comemora o sucesso de Carlito, o ‘palhaço’ de Amor à Vida
Foto:  Divulgação / Rede Globo

Personagens caracterizados marcaram os primeiros trabalhos de Anderson Di Rizzi na televisão. Em Morde & Assopra, o ator foi o sargento Xavier; já em Gabriela, o tímido professor Josué. Agora, no ar em Amor à Vida, ele é o DJ Carlito, ou melhor, o “palhaço”, apelido dado por Valdirene, personagem de Tatá Werneck.

“Quando as pessoas me olham na rua, elas não dizem que eu sou o Carlito da novela, mas que eu sou o palhaço”, disse o ator em entrevista por telefone com a Contigo! Online. Anderson ainda contou curiosidades sobre sua carreira de ator, além de como faz para matar a saudade da namorada que mora em São Paulo e da família que é de Campinas, interior do estando, sendo que ele vive no Rio de Janeiro. Leia a entrevista!

“Queria ser jogador de futebol”

A carreira de ator veio por acaso. O sonho de Anderson, quando criança, era ser jogador de futebol profissional. “Eu sempre quis ser jogador. Até os 16 anos, meu pai sempre investiu na minha carreira. Eu era bom de bola, jogue até em categorias de base, em Campinas”, garante o ator, hoje com 34 anos.

Mas um acidente de carro mudou tudo. Anderson quebrou um dedo, rompendo um tendão, e acabou deixando a carreira de jogador de lado, trabalhando como contador. “Sou formado em Técnico em Contabilidade e, enquanto trabalhava nessa área, comecei a fazer academia. Um amigo tinha uma agência e me chamou para fazer alguns trabalhos. Eu fui para São Paulo e fiz figuração. Então me matriculei no curso da escola Macunaíma e comecei a estudar para ser ator. A profissão veio sem querer”, revelou.

Quando a mãe fala…

Anderson lembrou que, apesar de estudar e dedicar na atuação, os pais, a princípio, estranharam que o filho seguisse a carreira. Mas a mãe de Anderson, sem querer, já havia previsto que ele poderia sim ser ator. “Quando eu tinha 15 para 16 anos, eu resolvi furar minha orelha. Meu pai encheu o saco e minha mãe falou ‘quem fura a orelha é só artista’. E quando eu resolvi estudar teatro, ela lembrou: ‘você foi estudar teatro por causa de seu furo na orelha'”, brincou.

Amor à Vida

Anderson disse que o convite para atuar no horário nobre veio quando estava no ar em Gabriela. Mauro Mendonça Filho, na época diretor geral do remake, e Walcyr Carraso, que fez a adaptação da obra de Jorge Amado, convidaram o ator para a novela das nove. “Eles só disseram que seria um DJ, com o estilo meio brega e cômico”, contou.

“Sou um ator que gosta de arriscar e aceitar as possibilidades. Isso é natural de mim, eu não consigo ficar parado. Em ‘Morde & Assopra’, o Xavier (personagem que deu a Anderson o prêmio Contigo! de TV na categoria Ator Revelação) era mais no estilo de Mazzaropi; em ‘Gabriela’, o professor lembrava um pouco Charles Chaplin. O Carlito já é um cara da periferia, tipo um playboy da periferia, um cara boa gente e pouco limitado nos conhecimentos”, explicou.

E para dar vida ao DJ, Anderson não só partiu para pesquisas na Internet, como também foi para a rua: “Andei muito de ônibus com a Tatá Werneck. Ficava observando tudo, imaginando que ele poderia falar como pessoas de alguns bairros se expressam. O Carlito tem muito de usar gerúndios nas frases, como ‘eu vou estar fazendo’, e isso veio naturalmente”.

Quando o assunto foi a colega – e agora amiga – Tatá Werneck, Anderson relembra o dia que a conheceu: “Foi no workshop da novela, quando todo o elenco se reúne para a apresentação. A gente se deu bem logo de cara e eu achei ela quietinha no começo, estava no canto. Até fiz uma brincadeira, dizendo que o Walcyr [Carrasco] tinha pedido para fazermos uma cena juntos na frente de todos, porque ela estava começando agora e ele queria ver a atuação dela. Ela quase teve um ‘treco’, mas logo eu disse que era brincadeira”.

Continua após a publicidade

Do Cômico ao Drama

Apesar das cenas engraçadas de Carlito e Valdirene, o DJ ainda vai chorar muito em “Amor à Vida”. Anderson disse que seu personagem ainda vai sofrer muito. “É um sofrimento, que o Walcyr Carrasco acaba colocando cenas engraçadas. Tem uma cena que o Carlito está chorando, daí a irmã dele dá um pastel para ele comer. E enquanto ele está comendo e chorando, ele lembra da Valdirene e imagina que está mordendo ela. Apesar de ser engraçado, não é uma cena fácil de ser feita. É uma transição complicada e exige concentração”, ressalta.

Repercussão

Apesar de ser chamado de ‘palhaço’ nas ruas, por causa do apelido de seu personagem, Anderson conta que, mesmo Valdirene só aprontando com Carlito, as pessoas dão dicas do que ele precisa fazer. “O que é legal é que as pessoas não falam que o Carlito é bobo. Eu falei com o Mauro [Mendonça] o Wolf [Maya] e o Sérgio Pena, nosso preparador, para não deixar o Carlito bobo diante dessas situações. E isso está acontecendo. As pessoas torcem para que ele e a Valdirene fiquem juntos”.

Namoro e família

Atualmente, Anderson mora no Rio de Janeiro. A família é de Campinas e a namorada, Taíse, de São Paulo. Sempre quando pode o ator faz questão de ir até a cidade natal ficar ao lado da mãe, no salão de cabeleireiro da família. “Mas eu prefiro que eles venham para o Rio”, destacou.

Já a namorada, Anderson contou que, agora que está de férias, pois é professora, ela fica com ele no Rio. Taíse estava ao lado do ator no momento da entrevista e falou sobre o relacionamento. Juntos há 2 anos e meio, ela disse que já acostumou com o assédio e com o público reconhecendo o namorado nas ruas. “Eu tenho que entender que é o trabalho dele. Claro que a gente tem nossas inseguranças, mas ele é muito companheiro, a postura dele é o que vale”, contou a professora.

Juntos, eles têm uma “filhinha de quatro patas”, chamada Bandeirinha. O casal a encontrou na estrada doente e acabou pegando para cuidar.

Cinema

Paralelo às gravações de Amor à Vida, Anderson também está trabalhando na divulgação do seu primeiro longa, O Concurso. O ator é o protagonista da comédia, junto com Danton Mello, Fábio Porchat e Rodrigo Pandolfo.

A produção aconteceu quando o ator havia terminando as gravações de Gabriela. “Tivemos 20 dias para a preparação corporal, vocal e ensaios. As filmagens começaram no dia 10 de dezembro e filmamos até o final de janeiro. Eu sou um cearense nerd intelectual, casado com a personagem de Carol Castro, e uso até uma prótese dentária”, comentou, satisfeito com o trabalho. “Tomara que venha mais trabalhos como esse por aí. Foi muito legal pegar um protagonista no primeiro filme, uma experiência maravilhosa como artista, me senti bem. Senti que é isso que eu quero fazer para minha vida”, finalizou.

O filme estreia no próximo dia 19 de julho.

Assista ao trailer de O Concurso:

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=3FCFo9bUWqg?feature=player_embedded%5D

Continua após a publicidade
Publicidade