Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Angelina Jolie alerta para a crise do sistema internacional humanitário

"Isolar-se não é um caminho, fragmentar-se não é uma resposta", declarou a atriz que também é enviada especial do Alto Comissariado da Organização das Nações Unidas (ONU) para refugiados em uma conferência internacional.

Por Débora Stevaux (colaboradora) Atualizado em 14 nov 2016, 18h03 - Publicado em 17 Maio 2016, 13h53

A atriz e enviada especial do Alto Comissariado da Organização das Nações Unidas (ONU) para refugiados, Angelina Jolie, fez um discurso contundente nesta última segunda-feira (16) sobre a a atual crise humanitária que os imigrantes estão enfrentando e o descaso por parte da comunidade internacional frente ao agravamento de vários conflitos em diversas regiões do globo.

Em um discurso de pouco mais de 15 minutos em inglês, Angelina traçou um panorama de como a migração está sendo capaz de provocar mudanças globais e como essas pessoas ainda sofrem por serem consideradas “desterradas” – independentemente de qual seja o seu destino. “Como qualquer problema de dimensões globais no século XXI, a falta de planejamento governamental não é uma solução”, pontuou ela. 

A atriz também nos alertou para o fato de que o número de conflitos tem crescido bruscamente, o que significa que a média de tempo que uma pessoa pode permanecer como refugiada já é da ordem de 20 anos: “Um mundo instável é um mundo inseguro para todos. E não há barreira grande o suficiente capaz de nos proteger destes conflitos” e explicou: “Se a casa do seu vizinho está pegando fogo, você não está seguro se trancar as suas portas. Isolar-se não é um caminho, fragmentar-se não é uma resposta.”

Assista abaixo um trecho do discurso: 

Continua após a publicidade
Publicidade