Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Andréia Horta não quer um casamento tradicional: ‘Deus me livre! Nunca me passou pela cabeça’

A mineira revela detalhes do namoro com o diretor da novela Império, Rogério Gomes, na qual atua

Por Redação M de Mulher Atualizado em 15 jan 2020, 01h38 - Publicado em 15 set 2014, 21h00
Andréia Horta não quer um casamento tradicional: 'Deus me livre! Nunca me passou pela cabeça'

Andréia posa na Cidade das Artes, no Rio: em Império, ela faz sua estreia no horário nobre da Globo
Foto: Marcelo Tabach

Há dez anos, Andréia Horta, 31, anota tudo o que vem à sua cabeça em caderninhos que mantém espalhados por sua casa. Às vezes, a ideia vem no meio da noite, entrecortando o sono. Então acorda, acende a luz da mesinha de cabeceira e toma nota. Faz isso porque tem medo de não se lembrar no dia seguinte, como já aconteceu, e ficar com aquela sensação de algo perdido. São pequenos poemas, projetos, lembranças do que precisa fazer. Às vezes, coisas do dia a dia. As anotações a acompanham cotidianamente, nas pausas do trabalho e em momentos de lazer.

De tempos em tempos, ela recupera essas memórias, que formam uma espécie de “pequenos diários”. Outro dia, descobriu um desejo que a surpreendeu: já quis ter quatro filhos! O tempo mudou seus planos e, hoje, a atriz – ela interpreta a designer de joias Maria Clara, na novela Império (Globo) – pensa diferente. “Neste momento, a vontade de ser mãe está muda, calada e quieta em um canto. Penso que, sim (sobre a vontade de ter filhos), mas o não também é uma possibilidade. Ainda tenho dez anos pela frente para pensar nessa questão com mais calma”, reconhece Andréia, que, desde o início de 2014, assumiu o namoro com Rogério Gomes, 52, o Papinha, diretor de núcleo da emissora e da trama das 9, ex-marido de Deborah Secco, 34 (ficaram juntos de 1997 a 2001).

Nada de véu e grinalda

Mineira de Juiz de Fora, Andréia usa um ditado de sua terra para não falar sobre o romance: “Baú fechado não perde tesouro!”, diz rindo. Mas logo se desarma e lista as coisas que a fizeram se apaixonar por Papinha – eles se conheceram quando trabalharam juntos na novela Amor Eterno Amor (2012) e voltaram a se cruzar na série A Teia (2014). “Ele é extremamente educado, centrado e equilibrado. Nossa relação é linda, ótima e feliz”, diz ela. A atriz garante que a intimidade não interfere em nada na Globo. “Estou na equipe dele desde 2012, mas é o nosso primeiro trabalho com uma relação homem e mulher por trás. Não ficou melhor nem pior. As coisas não se atravessam, não se misturam.”

“Ele é extremamente educado, centrado e equilibrado”, diz ela sobre o namorado
Foto: Marcelo Tabach

Continua após a publicidade

Um casamento tradicional, de véu e grinalda, não está nos planos de Andréia. “Deus me livre! Nunca me passou pela cabeça pôr uma tiara, um vestido de cauda… Acho a cerimônia linda, choro no casamento das minhas amigas, mas, para tristeza da minha mãe (Christina, 56), já que sou a única filha mulher, nunca quis isso para mim”, reconhece Andréia, que usa um anel de diamantes na mão esquerda, mas afirma que a joia não é de compromisso. “Acho aliança um símbolo lindo, mas não é fundamental para uma relação.” E completa: “Para mim, a palavra é o mais importante para um relacionamento. A dois ou entre amigos, irmãos… Dou muito valor àquilo que se diz”, afirma. “Mas sou mineira (risos), muito discreta. Eu me acho uma pessoa transparente. Mas lido com a fama de maneira cautelosa e responsável”, afirma a atriz, que vive com Papinha em uma casa na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.

Há dois meses, ela resolveu abrir seu Instagram para os fãs. “Em geral, acho que as pessoas estão lidando com as redes sociais de maneira exagerada. Mas cada um também tem uma necessidade de se sentir amado, ou dividir o que faz. Isso é muito particular. Abri o meu Instagram agora, porque muitos amigos começaram a falar que seria legal ter essa comunicação com o público, já que eu não tenho perfil no Facebook nem Twitter. Mas não vou expor o que não quero!”

Da Minas natal Andreia também herdou o gosto pela boa mesa. “Como de tudo. Nem tenho disciplina para fazer dieta”, garante. A silhueta enxuta – são 47 quilos em 1,61 metro – é conquistada três vezes por semana nas aulas de pilates. “Faço há cinco anos. Deixa os músculos no lugar, sem perder a forma de um corpo feminino”, diz Andréia.

A aparência frágil se choca com a personalidade forte e determinada. Desde cedo, ela correu atrás do que queria. “Saí de Juiz Fora com 17 anos para estudar artes cênicas em São Paulo”, conta Andréia, que estreou na TV em 2005, na novela Prova de Amor (Record). No ano seguinte, fez a série JK (2006), na Globo. A atriz, que se mudou para o Rio aos 21, também viveu a protagonista da série Alice, da HBO (2008), e passou pela Record. “Subi um degrau após o outro. Nada veio no susto.”

Andréia Horta não quer um casamento tradicional: 'Deus me livre! Nunca me passou pela cabeça'

A atriz mantém a silhueta com pilates. “Deixa os músculos no lugar, sem perder a forma de um corpo feminino”
Foto: Marcelo Tabach

Continua após a publicidade
Publicidade