Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Emagreci 33 kg com meu truque: água de gengibre!

Coloco um pedacinho da raiz na minha garrafinha com água e acelero meu metabolismo enquanto trabalho! Queimo gordurinha o tempo todo sem perceber!

Por Redação M de Mulher Atualizado em 15 jan 2020, 11h48 - Publicado em 20 nov 2013, 21h00

Gisareli dos Santos, 23 anos, gerente de compras, Guabiruba, SC
Foto: Tacca Fotografia

“Quanto você pesa?” perguntou uma colega que eu só encontrava em festas e que era bem mais gorda do que eu.”Ah, acho que 85 kg”, chutei, já que há muitos anos não encarava uma balança. Foi então que aquela mulher enorme respondeu: “Estou com 80 kg”. Fiquei inconformada com a cara de pau da mentirosa insinuando ser mais magra do que eu. Até parece! E passei o final de semana com a pulga atrás da orelha.

Na segunda feira fui conferir meu peso. Subi e desci três vezes na balança, sem acreditar: 108 kg! Tirei tênis, larguei bolsa, joguei o casaco… e o peso era o mesmo. Só me faltou tirar a calcinha na farmácia para ter certeza do que eu via nos ponteiros!

Cheguei em casa, tirei a roupa e fui para a frente do espelho. Me olhei honestamente, analisando cada parte do do meu corpo como havia muito não fazia: enxerguei uma mulher feia, infeliz, frustrada. E gorda. Me senti tão mal que fui para o computador atrás de fotos dos meus 15 anos, para relembrar como eu era. Foi um choque, caí no choro! O que eu tinha feito comigo?

As fotos de adolescência me fizeram enxergar as tantas vergonhas que passei por causa de excesso de peso… As cadeiras que quebrei, o drama de comprar roupa, a tristeza por nunca arrumar um namorado. Foi nesse dia, em fevereiro de 2010, que enxerguei e admiti meu problema. Engoli o choro e decidi ser uma mulher feliz. O dever estava em minhas mãos!

Não me via gorda
 
Eu já vestia manequim 40 aos 11 anos, mas foi depois dos 15 que a situação saiu do controle. E não foi por doença, foi comida mesmo! Comer era o maior prazer da minha vida. Devorava lanches enormes, frituras e doces, e bebia muito refrigerante. A verdade é que eu não era saudável emocionalmente. transferia minhas amarguras para a comida e distorcia a minha imagem no espelho.
Se alguém comentasse que eu estava engordando, aí que eu comia mais, só de raiva, pois não achava que era tanto assim! “Que povo exagerado”, pensava. E vivia inventando armadilhas. Saía da academia e comia uma cachorro-quente no caminho, aí dizia que os exercícios não davam resultado! O mesmo acontencia quando eu me via gorda em uma foto ou quando a roupa ficava apertada: a culpa era da máquina fotográfica que não prestava e da modelagem fajuta da roupa! Eu, realmente, não me via tão gigante assim. Muitas vezes, olhei uma calça 48 e provei, crente que me serviria. Mas a calça não passava do joelho… E me sentia enganada!
 
No auge do meu peso, comecei a perceber meu cansaço para ir até a esquina, com pernas inchadas, dificuldade para respirar e muito suor, até no inverno! Fui arrastando meu corpo assim até o bendito dia da conversa com a colega. Aí tive que enfrentar a realidade e aceitar que eu estava obesa.
 
Esqueci de mim e engordei
 
Por sorte, nessa mesma época, minha melhor amiga estava frequentando um grupo de emagrecimento e me passou todas as dicas para emagrecer com saúde. 
Comecei a comer a cada três horas, sustituí tudo o que pude pela versão integral ou light, cortei fritura e refrigerante, incluí legumes, frutas, aveia, e, principalmente, coloquei mais salada no prato. Além da reeducação alimentar, comecei a caminhar 20 minutos por dia. Já na primeira semana via a balança marcar 4 kg a menos, sem nem passar fome! Rapidinho, passei a ir ao trabalho a pé!
 
Com muita força de vontade, em três meses, em junho de 2010, eu já tinha perdido 24 kg! Meu Deus, meu shortinho jeans de quando eu tinha 15 anos voltou a me servir! Aí ninguém me segurou, né?! Nessa fase, conheci o Odair, meu primeiro namorado, com quem estou até hoje. Estava tudo perfeito, eu tinha um amor e estava megafeliz! Até que em abril de 2011 minha vida virou de cabeça para baixo: o Odair sofreu um acidente gravíssimo de moto que destrui o fêmur. Ele foi operado e precisava de cuidados. Por isso, passou a morar comigo. Ele dependia de mim para tomar banho, comer, ir ao banheiro… Tudo! Foi uma barra muito pesada e eu voltei a usar a comida como fuga e recompensa por todo o meu esforço. É, amiga, perdi minha vaidade e engordei 10 kg num piscar de olhos.
 
Nove meses depois, a poeira já tinha abaixado e Odair já estava recuperado. Mas meu peso não. Aí, um dia, meu amor, com todo jeitinho, falou que eu deveria retomar a dieta. Fiquei superofendida, me tranquei no banheiro e chorei de raiva: quanta ingratidão! Eu estava assim porque eu só vivia para ele! Liguei para uma amiga e ela disse que Odair fez isso por amor. Mas eu estava uma fera: “Ah, é? Vou emagrecer e ele vai morrer de ciúme!”
 
No dia seguinte, retornei as rédeas da dieta: recomecei a reeducação e os exercícios da mesma forma de antes e determinei que nossa casa não teria mais guloseimas. Odair acabou entrando na dieta, mesmo sem precisar emagrecer!
 
Queimo gordurinhas sentada!
 
Nessa segunda fase de emagrecimento, o mundo virtual foi um grande aliado. Comecei a seguir todas as blogueiras light e até criei meu próprio blog. Me sentia motivada ao publicar minha evolução na dieta e as dificuldades e alegrias da rotina.
 
E foi na internet que aprendi sobre os termogênicos naturais, um grupo de alimentos que acelera o matabolismo e ajuda na queima de gordurinhas!
 
Como passo meu dia em frente a um computador, precisava de uma solução prática para consumir esse tipo de alimento. Aí tive a brilhante ideia de colocar um pedacinho de gengibre na garrafinha de água que sempre deixo na mesa de trabalho! Deu maias que certo! Passei a tomar cinco garraginhas de água com um único pedacinho de mais ou menos 6 cm de gengibre durante o dia. No total, dá 2,5 litros da minha bebida turbinada. E quem não quer queimar calorias sentado? O pessoal do escritório adotou meu truque! No verão, eu coloco também umas gotinhas de limão para minha bebida termogênica ficar mais refrescante!
 
Aproveitei minhas pesquisas pela internet e juntei o gengibre com outros amigos do emagrecimento e fiz um “suchá detox”. Preparo a bebida em casa toda segunda-feira, depois dos deslizes do fim de semana, é muito fácil de fazer, veja minha receitinha! Além de termogênico, o suchá acaba com o inchaço por ser diurético e faz meu intestino funcionar por conta das fibras de couve. Uma maravilha!
 
Sete meses depois daquele comentário do Odair, em agosto de 2012, eu já tinha emagrecido muito além do que eu imaginava: conquistei meu peso de 75 kg. Ou seja: fiquei bem mais magra do que na primeira fase da dieta! Que alegria!
 
E o ciúme do meu amor? Sim, ele existe, mas nada exagerado. Odair admira o mulherão que tem em casa! Estou tão realizada que minha vida mudou até profissionalmente: de secretária, virei gerente!
 
E tenho certeza que isso só foi possível porque meu emagrecimento me ensinou a ser muito mais otimista, forte e autoconfiante! Sem contar que estou bem bonitiona no manequim 40, é claro! 
 
Emagreça sem esforço!
 
Colocar um pedacinho de gengibre na sua garrafinha de água parece algo inocente, mas tem um efeito poderoso! “O gengibre é um eficiente termogênico, capaz de acelerar o metabolismo, aumentar o gasto calórico em mais de 10% e favorecer a queima de gordura. Além disso, essa raiz ajuda na digestão, é antioxidante e tem ação anti-inflamatória”, explica a nutricionista Sophia Agnelli.
 
Receita do Suchá Detox da Gisareli
 
Ingredientes: 1 litro de chá-verde gelado, preparado com a infusão de 1 colher (sopa) das folhas secas + 3 fatias de abacaxi ou 1 laranja picada + 3 folhas de couve + 3 folhas de hortelã + 1 colher (chá) de raspas de gengibre + 1 pitada de canela em pó
 
Preparo: Bater tudo no liquidificador e tomar em seguida, não é necessário coar.
 
 
Cardápio inserido
div#cardapio_wrap div,div#cardapio_wrap span,div#cardapio_wrap div#cardapio_wraph1, div#cardapio_wraph2, div#cardapio_wraph3, div#cardapio_wrap p, div#cardapio_wrap a, div#cardapio_wrap em, div#cardapio_wrap img,
div#cardapio_wrap strong, div#cardapio_wrap b, div#cardapio_wrap u, div#cardapio_wrap i, div#cardapio_wrap center, div#cardapio_wrap table, div#cardapio_wrap tr, div#cardapio_wrap td{margin:0;padding:0;border:0;font-size:100%;font:inherit;vertical-align:baseline;}
body{line-height:1;}
table{border-collapse:collapse;border-spacing:0;}

div#cardapio_wrap{font-family:Arial,sans-serif;overflow:hidden;width:620px;}
div#cardapio_wrap div#cardapio_header{background-color:#404042;display:table;height:38px;text-align:center;text-transform:uppercase;width:100%;}
div#cardapio_wrap div#cardapio_header span{color:#fff;display:table-cell;font-size:18px;font-weight:bold;vertical-align:middle;}
div#cardapio_table{display:table;overflow:hidden;width:620px;}
div#cardapio_table div.cardapio_column{background-color:#f6f6f6;display:table-cell;padding-bottom:20px;vertical-align:top;width:205px;}
div#cardapio_table div.cardapio_column.middle{border-left:2px solid #fff;border-right:2px solid #fff;background-color:#eeeeee;margin:0 2px;width:206px;}
div#cardapio_table div.cardapio_column div.cardapio_item{float:left;width:204px;}
div#cardapio_table div.cardapio_column div.cardapio_item h3{color:#000;display:block;font-size:14px;font-weight:bold;letter-spacing:0px;margin:15px 0 11px;text-align:center;text-transform:uppercase;width:100%;}
div#cardapio_table div.cardapio_column.bottom div.cardapio_item h3{margin-top:0;}
div#cardapio_table div.cardapio_column div.cardapio_item p{color:#6f6f6f;display:block;font-size:13px;line-height:19px;margin:0 auto;width:90%;}
div#cardapio_table div.cardapio_column div.cardapio_item h4{color:#6f6f6f;display:block;font-size:13px;font-weight:bold;margin:15px auto 0;text-align:left;width:90%;}

@media only screen and (max-width: 620px), only screen and (max-device-width: 620px){
div#cardapio_table,div#cardapio_wrap{width:100%;}
div#cardapio_table div.cardapio_column{background-color:#fff;display:block;float:left;margin:0 0 3px;padding-bottom:0;width:100%;}
div#cardapio_table div.cardapio_column.middle{background-color:#fff;display:block;margin:0 0 3px;width:100%;}
div#cardapio_table div.cardapio_column.middle div.cardapio_item{background-color:#eeeeee;}
div#cardapio_table div.cardapio_column div.cardapio_item{background-color:#f6f6f6;float:left;padding-bottom:20px;width:100%;}
div#cardapio_table div.cardapio_column div.cardapio_item h3{margin:15px auto 11px;text-align:left;width:90%;}
}

br.clear{clear:both}

Continua após a publicidade
O cardápio de Gisarelli

Café da manhã

2 fatias de pão integral com requeijão light + 1 xícara de leite desnatado + 1 colher (chá) de café solúvel + Adoçante + 1 fatia de mamão.

Dica da nutricionista:

O pão integral pode ser substituído por torrada integral e o leite desnatado pelo iogurte desnatado.

Lanche da manhã

2 castanhas-do-pará + 200 ml de iogurte light.

Almoço

3 colheres (sopa) de arroz integral + 3 colheres (sopa) de feijão + 1 filé (médio) de peito de frango ou de carne magra grelhado + 3 colheres (sopa) de legumes cozidos variados + salada à vontade.

Dica da nutricionista:

Para variar o cardápio, o arroz integral pode ser substituído por macarrão integral. Abuse da salada de folhas. Sugiro incluir gelatina light como sobremesa.

Lanche da tarde

1 fruta.

Jantar

Sanduíche de 2 fatias de pão integral com requeijão light + 1 ovo cozido ou 1 lata de sardinha sem azeite ou 1 filé (médio) de frango grelhado + salada à vontade.

Ceia

1 medida de WheyProtein diluída em água + 1 fruta ou 200 ml de iogurte light + 1 fruta.

(Cód. Conteúdo: 760748)

 
 

 

Continua após a publicidade
Publicidade