Assine CLAUDIA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Destrua o hormônio que engorda

Incrível: uma substância escondida nos produtos do dia-a-dia pode ser o motivo que impede você de emagrecer! Veja como atacá-la

Por Redação M de Mulher
Atualizado em 21 jan 2020, 11h06 - Publicado em 7 nov 2008, 21h00
Destrua o hormônio que engorda

Legenda: Alguns alimentos podem 
combater o estrogênio ambiental
Foto: Dreamstime

Você acreditaria se alguém dissesse que a culpa dos seus quilinhos a mais é da poluição, dos produtos de limpeza ou dos cosméticos que você usa? Pois é isso: pelo menos parte do seu peso extra tem relação com esses fatores.

Alguns produtos e o ar poluído contêm uma substância parecida com o estrogênio, um hormônio que o corpo produz. Trata-se do estrogênio ambiental – esse nome é porque a origem dele é o meio em que vivemos.

O problema é que ele acaba sendo absorvido pelo corpo humano. Em grande quantidade, se torna prejudicial. “Estamos expostos a 15 vezes mais estrogênio do que estávamos há cem anos. Isso acaba dificultando a perda de peso”, diz o americano Ori Hofmekler, autor do livro A Dieta Antiestrogênica (ainda sem tradução no Brasil).

Segundo ele, o estrogênio em excesso provoca no organismo várias reações que levam ao acúmulo de gordura e à dificuldade de emagrecer. É um verdadeiro “veneno” encontrado em pílulas anticoncepcionais, adubos, defensivos agrícolas e embalagens plásticas de alimentos, por exemplo.

Continua após a publicidade

Ajude seu fígado

 A boa notícia é que alguns alimentos podem combater o estrogênio ambiental. Eles são saborosos e fáceis de encontrar, como brócolis, peixes, alho e cebola.

Hofmekler criou uma dieta de duas semanas usando esses alimentos. Eles ajudam o fígado a funcionar melhor. Esse órgão é o grande responsável pelo metabolismo do estrogênio e da gordura. E mais: além de combater o hormônio que engorda, esses alimentos previnem o câncer e os sintomas da tensão pré-menstrual (TPM).

Você vai notar que, no jantar da segunda semana, entram em cena azeitona, azeite, abacate e nozes. Todos são fontes de boas gorduras, que estimulam a produção de outro hormônio, a progesterona. Ela neutraliza natural mente o estrogênio.

Alimentos que combatem o estrogênio

Brócolis, couve-flor, couve-de-bruxelas (repolhinho) e repolho: Contêm uma substância chamada indol, que ajuda o corpo a metabolizar o estrogênio.

Continua após a publicidade

Linhaça, óleo de linhaça e peixes (pescados na natureza, não criados em cativeiro): São excelentes fontes de ácidos ômega-3, que neutralizam o hormônio presente em outras gorduras.

Chás de camomila e maracujá: São ricos em crisina e apigenina, dois antioxidantes ligados à inibição da atividade do estrogênio.

Alho e cebola: Fontes de quercetina, um antioxidante que tem ação sobre as enzimas envolvidas na produção do hormônio.

Açafrão e caril (curry): Essas deliciosas especiarias contêm curcumina, uma substância inibidora dos efeitos do estrogênio.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

O mundo está mudando. O tempo todo.
Acompanhe por CLAUDIA e tenha acesso digital a todos os títulos Abril.

Acompanhe por CLAUDIA.

Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Moda, beleza, autoconhecimento, mais de 11 mil receitas testadas e aprovadas, previsões diárias, semanais e mensais de astrologia!

Receba mensalmente Claudia impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições
digitais e acervos nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 12,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.