Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Tudo do jeitinho deles

O apartamento zero-quilômetro, localizado na capital paulista, foi moldado às necessidades do casal de analistas de sistemas

Por Minha Casa Digital Atualizado em 19 fev 2020, 14h34 - Publicado em 6 Maio 2015, 12h00

Planta livre, com flexibilidade para escolher a distribuição dos cômodos do imóvel. Foi essa proposta do empreendimento MaxHaus que conquistou Maria Pia Bortoletto Aleo e Thomaz Gomes de Oliveira – tanto que eles logo trataram de fechar negócio.  “Foi como pegar uma tela em branco”, considera Pia. Convocadas, as irmãs arquitetas Ana Carolina e Mariana Lima Orsolini  trouxeram soluções criativas e práticas para ajudar o casal a pintar o quadro do lar, doce lar.

Pouca divisão, muita cor

❚ Como adoram receber visitas, os moradores optaram por uma planta com a ala social integrada, deixando apenas a íntima isolada por paredes. “No estar e jantar, conservamos os acabamentos em cimento queimado no piso e concreto aparente no teto, entregues pela construtora – a ideia foi fazer com que, nesse trecho, a integração dos ambientes se estendesse ao visual”, explica Mariana.

❚ As arquitetas aqueceram o espaço com um mix de itens neutros e outros supercoloridos. No jantar, a mesa laqueada branca é cercada por cadeiras ( Uma , Oppa ) e por um trio de pendentes em três tons diferentes. No estar, o sofá cinza contrasta com a poltrona azul e a parede roxa (Berinjela,  ref. Z027, da Suvinil.  Bazar das Tintas).

❚ O rack faz par com  uma caixa, no alto, que embute o xodó de Thomaz: um telão de 92” retrátil  e automatizado (Projetelas).

Funcional sem abrir mão da beleza

❚ Os ladrilhos hidráulicos de diferentes cores e tamanhos que compõem o painel acima da bancada da pia foram escolhidos um a um (Dalle Piagge). “Parece simples, mas a desordem proposital do patchwork requer estudo de harmonia de tons e estampas”, aponta Mariana, que recomenda sempre uma montagem de teste antes da instalação.

❚ Um dos pedidos de Pia foi bastante espaço para trabalho e armazenamento. Assim, a marcenaria toma os dois lados da cozinha, e a bancada se estende até a lavanderia, oferecendo uma superfície para a confeiteira preparar seus bolos. Uma divisória de vidro com película vinílica imitando efeito jateado separa os ambientes.

❚ O piso de cimento queimado recebeu uma camada de resina acrílica (Hydronorth, C&C) para impermeabilização, o que facilita a limpeza diária.

65 m² personalizados

Continua após a publicidade

❚ O segundo quarto (1) abriga hóspedes e oferece espaço para guardar materiais.

❚ Com as opções de transformar o anexo da cozinha (2) em extensão do ambiente, em varanda ou em área de serviço, o casal preferiu a última.

Visitas bem tratadas

❚ Bons anfitriões que são, Pia e Thomaz escolheram a versão do imóvel equipada com dois banheiros, destinando um deles ao uso social. O cômodo aproveita o pilar central como divisória, mantendo seu acabamento original, em cimento queimado – as demais paredes foram erguidas e vieram pintadas de branco, enquanto o piso foi entregue revestido de mármore branco piguês.

❚ As maiores intervenções foram feitas na parede com a bancada e a cuba de vidro, também originais. Um espelho de 1,62 x 1 m foi feito sob medida, com os recortes previstos para permitir a reinstalação da torneira e dos interruptores  já existentes nessa superfície. Um papel de parede com estampa de arabescos cobre o trecho restante, acima do espelho.

❚ O par de móveis baixinhos – com rodízios, para facilitar a manutenção – atua como gabinete. O pacote fechado com o marceneiro inclui ainda uma peça similar, feita para o banheiro do casal.

Muitas ideias brilhantes

1. A estrela da sala de estar é o telão, por isso, as lâmpadas não poderiam interferir na projeção. As arquitetas apostaram em réguas pendentes de 2 m de comprimento ( PE031 , Arquitetura da Luz) com halógenas de 100 W, cuja luz é rebatida no teto, gerando iluminação indireta e conforto visual para os espectadores.

2. O trio de pendentes em roxo, vermelho e amarelo ( PE214 , PE210 e PE212 , Arquitetura da Luz) confere charme extra ao jantar. Os soquetes são 

originalmente brancos, mas por um custo adicional vieram tingidos da mesma cor dos fios.

3. O espelho do lavabo é arrematado por uma arandela de 1 m ( AR072 , Arquitetura da Luz), que recebe até seis lâmpadas pequenas. O resultado é uma luz difusa, que não cria sombras no rosto.

4. No quarto do casal, o painel de MDF que serve como cabeceira da cama recebeu fitas de LED nas laterais (Lustres Yamamura).

Visual delicado, porém elaborado

❚ O closet foi a solução encontrada pelas arquitetas para deixar o ambiente leve, como os moradores haviam pedido.  A peça de marcenaria, conta com porta de correr, a fim de poupar espaço, e abraça a entrada para o banheiro, dando acesso a esse cômodo, que manteve sua porta original – fechada, ela impede que o vapor e a umidade estraguem as roupas. 

❚ A cama e os criados-mudos também foram feitos sob medida, a exemplo da cabeceira – esse painel e a superfície na qual fica encostado foram cobertos com papel de parede: a estampa clarinha do primeiro contrasta com o padrão amadeirado da segunda.

❚ No banheiro, o destaque fica por conta do motivo floral do papel vinílico (álbum Glamour, ref. 431247. Avantime).

Continua após a publicidade
Publicidade