O quarto merecia mais uma chance

Estreito, com acabamentos ultrapassados e um buraco na parede, o ambiente era desprezado pelas moradoras. Até que a caçula da família decidiu mudar de vez essa história

Era um cômodo muito engraçado, que já tinha desempenhado as mais diversas funções – inclusive a de banheiro! – e ostentava um curioso passa-pratos. Por essas e outras, é claro que ninguém queria ficar com ele. Mas quem disse que a família podia se dar ao luxo de dispensá-lo? “Eu, minhas duas irmãs e nossa mãe acabávamos nos revezando no dormitório improvisado”, conta a estudante de publicidade Luiza Tomasulo, de Diadema, SP. O jogo de empurra durou anos, até que ela decidiu colocar um ponto final no problema: juntou economias, escalou uma força tarefa e, enfim, transformou o cantinho no quarto com que sempre sonhou. E o melhor é que a reforma completa saiu por R$ 2 562.

Quanto mais em conta, melhor!

❚ Trocar o piso estampado por um modelo discreto e atual era necessidade de primeira ordem, porém remover toda a cerâmica implicaria em gastos demais. A solução foi aplicar um laminado sobre o acabamento existente. Para que a metragem do quarto parecesse maior, as réguas foram instaladas no sentido do comprimento.

❚ Eis a missão seguinte: encontrar uma forma de ocultar o passa-pratos de 1 x 0,70 m. Depois de quebrar um pouco a cabeça, Luiza decidiu colocar em prática o antigo desejo de ter um espelho com iluminação de camarim. O problema é que os modelos à venda estouravam o orçamento. A moça, então, pediu ajuda ao padrasto, Guenther. Depois de desenhar o projeto, ele encomendou o MDF da moldura cortado nas medidas de que precisaria, bem como o espelho ideal para cobrir o vão. Depois, convocou a enteada para montar tudo, inclusive a parte elétrica.

❚ Em bom estado, cama e criado-mudo ganharam vida nova com tinta branca.

❚ O verde das paredes também perdeu a vez para o branquinho. Apenas uma superfície se cobriu com um papel de discretos arabescos, que dá o ar romântico. Gastar com instalador? Nem pensar! A moradora e o namorado resolveram a questão.

❚ A economia não se deu só no bolso: os centímetros também foram bem calculados. A estudante optou por uma escrivaninha de 1,20 m de largura, mas estreita o suficiente (45 cm) para não atrapalhar a passagem. E nem o vão de 20 cm na lateral do guarda-roupa foi descartado. Repare que, ali, cinco nichos empilhados formam uma estante.

Nova ordem em 7,50 m²

❚ O layout foi pensado em função do guarda-roupa (1), posicionado no fundo do cômodo. Assim, a cama (2) se mudou para a parede em frente. Para não atravancar a passagem, o criado-mudo (3) perdeu o posto ao lado da cabeceira e foi parar ao pé do leito. A antiga cômoda (4) foi descartada.