CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR R$ 14,90/MÊS

Geladeira nos trinques

Confira os erros mais comuns no armazenamento de alimentos e descubra as melhores dicas para evitá-los

Por Texto: Cris Komesu Atualizado em 19 fev 2020, 13h51 - Publicado em 10 ago 2016, 08h00

Além de facilitar a rotina diária, um refrigerador organizado conserva os alimentos por mais tempo. Nada de guardar os itens de forma aleatória e sem muita cerimônia! 

• A primeira lição é clara: perecíveis vão sempre no alto. Manteiga, requeijão, iogurtes, patês, queijos e embutidos têm prazo de validade curto, por isso ficam no compartimento extrafrio que vem logo abaixo do freezer – nele, a temperatura é mais baixa e mais estável. Guarde os frios sempre embalados.

• Leite, sobremesas e saladas prontas vão na primeira prateleira, logo abaixo do compartimento fechado. Esse também é o local ideal para os ovos, apesar do antigo costume de mantê-los na porta.

• Sobras de refeições podem ser dispostas na prateleira do meio. O mesmo vale para as carnes cruas não congeladas – ainda que estejam embaladas, guardá-las em recipientes fechados diminui o risco de contaminação e evita sujeira dentro do refrigerador.

• Frutas maduras preenchem as prateleiras inferiores. Uma dica importante é não armazenar produtos nas saídas de ar. “Isso interfere em todo o sistema de refrigeração e, além de fazer com que ele consuma mais energia, diminui o tempo de conservação dos alimentos”, explica Guilherme Soares, gerente de qualidade da Whirlpool, detentora das marcas Brastemp e Consul.

• Carnes, aves e peixes crus que não serão consumidos logo devem ir para o freezer. Congele em porções do tamanho necessário para cada refeição e crie etiquetas com o nome do alimento e a data de armazenamento. Mas atenção: nem sempre congelar dá certo. “Itens com alto teor de água, como ovos, vegetais folhosos e pratos à base de creme de leite ou maionese, sofrem alterações na textura”, aponta a nutricionista Clarissa Fujiwara.

Continua após a publicidade

• Bebidas, condimentos e conservas se dão bem na porta, local que sofre a maior oscilação de temperatura, por causa do abre e fecha.

• Armazenar líquidos em recipientes sem tampa é totalmente desaconselhável. Uma das funções do motor é retirar a umidade interna, logo, um simples copo de água faz com que ele seja mais exigido. O resultado? Maior consumo de energia.

• Verduras e legumes vão para o gavetão. Depois de lavados e secos, devem ser cobertos com filme plástico. Furinhos nele ajudam a não sufocar os vegetais.

Segredos de manutenção

• É essencial deixar espaço livre em torno do refrigerador para garantir a circulação de ar: pelo menos 10 cm nas laterais e atrás, e 15 cm no topo. Não posicione ao lado de fontes de calor, como o fogão, por exemplo. 

• A limpeza completa deve ser feita uma vez por mês. Retire todos os alimentos e, enquanto durar a faxina, guarde-os em caixas térmicas. Limpe prateleiras e gavetas apenas com água e sabão neutro. 

• Não deixe toalhinhas sobre as prateleiras: elas prejudicam a circulação do ar frio no interior do aparelho. 

• Sobras de alimentos cozidos podem permanecer com segurança na geladeira por até 48 horas. Mas isso não deve significar desperdício. “É possível reaproveitar quase tudo: o arroz se converte em bolinhos e a carne moída vai para o recheio de massas”, exemplifica a nutricionista Flávia La Villa, de Campos do Jordão, SP. 

• Todo mundo sabe que guardar alimentos quentes aumenta o gasto energético do refrigerador. Por outro lado, isso reduz a exposição da comida à ação de bactérias

Continua após a publicidade
Publicidade