Antes e Depois: as memórias e as cores ficaram bem mais vivas

A dupla de arquitetas paulistanas, Ana Carolina e Mariana Lima Orsolini, não só encontrou alternativas para manter tudo o que faz o coração da moradora bater mais forte como também conseguiu liberar uma boa área de circulação

Como fazer a saudade caber em 16 m²? A bancária Kaynará Alves bem que tentou, mas a sala de seu apartamento, em São Paulo, parecia pequena para tantos objetos queridos – alguns móveis herdados de familiares, as recordações dos sobrinhos, a bicicleta dos tempos de infância. Ela, então, compartilhou seus anseios com as arquitetas paulistanas  Ana Carolina e Mariana Lima Orsolini. “O ambiente parecia menor porque o mobiliário estava mal distribuído”, explica Ana Carolina. Para temperar as mudanças, as tonalidades alegres deram o arremate.

Mix de peças reformadas e novidades

❚ Sobre a maior das prateleiras amarelas recém-instaladas, um lugar de honra foi reservado à bicicletinha que Kaynará ganhou de presente dos avós quando era criança. 

❚ Reparou no quadro branco sob a prateleira amarela inferior? Com 40 x 40 cm, ele exibe os primeiros sapatinhos usados pelos sobrinhos da moradora, Décio e Ana Laura.

❚ O antigo rack foi mantido, mas sem o disco giratório sobre o qual a TV ficava apoiada. “Esse elemento era removível, então o tiramos em definitivo”, explica Ana Carolina. Depois, foi só dar ao móvel um banho de tinta e promovê-lo a aparador, em frente ao canto do jantar. 

❚ A parede próxima da entrada ganhou vida com a pintura em tom lilás e passou a emoldurar uma cristaleira mais do que especial. “Foi meu avô quem a fabricou, na ocasião de seu casamento, há cerca de 80 anos”, orgulha-se a moradora. Antes escondida, encaixada na estante (veja na pág. 85), a peça de madeira agora é uma das vedetes do ambiente. “Tem valor afetivo? Então merece destaque!”, proclama Mariana. 

❚ Outro item herdado dos avós é a mesinha lateral, que recebeu os mesmos tratamento e cor que as prateleiras. 

❚ Também amarelo, o pendente foi eleito para conferir uma pitada moderna ao espaço. 

❚ A paleta alegre é complementada pelo conjunto de cadeiras: cada uma delas ostenta uma tonalidade diferente, embora todas sejam do mesmo modelo. 

❚ Em ótimo estado, o piso de madeira permaneceu intacto.

Layout reformulado

❚ Com o reposicionamento do antigo rack (1), que agora desempenha o papel de bufê (2), abriu-se espaço para alocar os novos sofá (3) e TV (4), um de frente para o outro. 

❚ “Sala de jantar? Só com mágica!”, brincou a moradora antes de a obra começar. E não é que as arquitetas provaram que era possível? Mesa e cadeiras (5) foram encaixadas na metragem disponível – e sem nenhum aperto!

Para a TV, um painel criativo – e exclusivo!

❚ As arquitetas enxergaram o cantinho perfeito para a televisão quando a cristaleira desocupou o vão da velha estante de madeira clara, agora tingida de esmalte branco com acabamento acetinado. 

❚ Além de um suporte articulado para a fixação do aparelho na parede, a nova instalação exigiu a adaptação dos pontos de energia elétrica e da antena. 

❚ Na estante, cada nicho formado pelas prateleiras de vidro exibe mais lembranças e objetos afetivos. 

❚ O fundo azul e o rack suspenso, desenhado pelas profissionais e fixado com ferragens embutidas, completam o painel de visual único. O vão inferior ainda pode acomodar a charmosa mesinha com péspalito, herança dos pais de Kaynará. 

❚ A moradora não era apegada ao sofá antigo, que pôde sair de cena. O novo modelo foi arrematado por um valor promocional, pois era peça de exposição.