Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Shows com público? “Só em 2022”, prevê cofundador do Lollapalooza

Marc Geiger chama a atenção para o que chama de "economia germafóbica" e fala das dificuldades técnicas trazidas pela Covid-19

Por Da Redação - 20 jul 2020, 15h48

Marc Geiger, um dos criadores do Lollapalooza, abriu o jogo sobre como enxerga o futuro dos shows com público presente. “Na minha humilde opinião, [o retorno] vai acontecer só em 2022”, disse ele ao podcast do crítico musical Bob Lefsetz

“Vai demorar um bom tempo até que o que eu chamo de ‘economia germafóbica’ morra lentamente para ser substituída pelo que eu chamo de ‘economia claustrifóbica’, que é quando todo mundo vai querer sair de casa, voltar a jantar fora, viver a vida e ir a festivais e shows”, aponta Geiger.

O empresário também falou sobre uma das principais dificuldades: ainda não há um seguro que cobre Covid-19. “As seguradoras estão reticentes, pois é uma responsabilidade enorme. ‘Hey, eu peguei Covid’ e isso e aquilo – como você prova isso? Eu acho que as grandes empresas pedem se auto-segurar, elas podem dar o pontapé inicial. Todas os outras precisam esperar até que a indústria das seguradoras se sinta confortável. Esse é um dos vários obstáculos no caminho para restaurar essa economia vibrante que foi paralisada. Há provavelmente outras 20 razões… seguro é uma grande”.

Mesmo após as declarações de Geiger, a organização do Lollapalooza Brasil ainda não confirmou o cancelamento da edição 2020. Originalmente previsto para acontecer em abril, o festival foi remarcado para o primeiro fim de semana de dezembro.

Publicidade