Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

O novo hino empoderador da Ariana Grande é igual uma música do Fabio Jr.

"No Tears Left to Cry" é uma celebração da vida e, bem, guarda muitas semelhanças com "Só Você".

Por Lucas Castilho - Atualizado em 16 jan 2020, 15h12 - Publicado em 20 abr 2018, 12h55

Ariana Grande, finalmente, voltou. E não é uma volta fácil. “No Tears Left to Cry”, lançada nesta sexta-feira (20), é a primeira música da artista de 24 anos desde o bombardeio terrorista durante um show dela que, em maio do ano passado, matou 22 pessoas e feriu mais de 59, em Manchester, na Inglaterra.

A canção não poderia ter uma melhor mensagem porque Ariana não tempo a perder, não tem mais lágrimas para chorar, ela quer viver, melhorar e amar. E da forma que as melhores divas pop sabem fazer durante esses tempos estranhos e difíceis: com um hino empoderador para as pistas de dança.

Não, ela não esqueceu das mortes ou da crueldade do terrorismo, mas quer que as pessoas não percam a vontade de buscar uma nova chance para encontrar prazer na vida. “Nós estamos curtindo demais para participar em todo esse ódio”, diz em certo momento da música.

Com influências do euro pop da década de 1970, o futuro hit também pode lembrar alguns sucessos da Madonna nos anos 1990, como “Vogue”. A produção chique fica por conta de Max Martin, a mente por trás de “Baby One More Time”, da Britney Spears, e “Teenage Dream”, da Katy Perry, entre outras músicas.

Outra curiosidade? Os brasileiros descobriram uma semelhança absurda da canção com “Só Você”, lançamento de 1984 do cantor Vinícius Cantuária, posteriormente, regravada por Fábio Jr., quando alcançou grande sucesso.

Compare:

https://twitter.com/fabuluosoa/status/987198441477591040

 

Continua após a publicidade
Publicidade