Divirta-se: a programação cultural do mês de novembro

As constantes transformações pessoais e do mundo inspiram as exposições deste mês

Universo particular

Ler Sete Breves Lições de Física, do físico e cosmologista italiano Carlo Rovelli, mexeu com a artista plástica Daisy Xavier. O livro fala de descobertas científicas e da complexa arquitetura do Universo. A carioca, porém, se interessou mais pelas partes sobre quedas.

Programação cultural para o mês de novembro

 (Pat Kilgore/CLAUDIA)

“Não só no sentido literal como no pessoal, em que acontece a corrosão e dissolução de valores”, explica. O movimento interno foi tão intenso que surgiu Sobre Como as Coisas Caem, exposição na galeria Anita Schwartz, em São Paulo, a partir do dia 6 de novembro. A obra Em Queda, produzida este ano, leva óleo, ácido, pó de ferrugem e até petróleo.

Construções

Para a artista japonesa Chiharu Shiota, os barcos simbolizam sonhos e esperança. Por isso, são tão comuns em suas obras, como em The Key in The Hand (a chave na mão, em tradução livre), de 2015. Esta e muitas outras instalações estarão na mostra Linhas da Vida, em cartaz no Centro Cultural Banco do Brasil, em São Paulo (de 13 de novembro a 27 de janeiro), no Distrito Federal (de 2 de março a 10 de maio de 2020) e no Rio de Janeiro (de 9 de junho a 31 de agosto de 2020).

Programação cultural para o mês de novembro

 (Pat Kilgore/CLAUDIA)

A retrospectiva com 70 trabalhos é toda baseada na trajetória da artista, que vive há 23 anos em Berlim. “Ela começou pintando, mas nunca conseguiu transpor tudo que queria dizer apenas por esse meio. Assim, evoluiu para essas instalações quase sempre autobiográficas”, explica a curadora Tereza de Arruda.