CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 14,90/MÊS

Diretor de cinema é acusado de assédio sexual por 38 mulheres

Depois do escândalo envolvendo o produtor Harvey Weinstein, dezenas de mulheres resolveram falar sobre o histórico de assédios do cineasta James Toback.

Por Júlia Warken Atualizado em 17 jan 2020, 13h41 - Publicado em 23 out 2017, 11h02

No último domingo (22), o Los Angeles Times publicou uma extensa reportagem em que 38 mulheres acusam o diretor e roteirista James Toback por assédio sexual. Assim como no escândalo envolvendo Harvey Weinstein, as vítimas geralmente são jovens atrizes.

Boa parte das mulheres entrevistadas relata que o cineasta costuma dar uma de “olheiro” pelas ruas de Nova York, abordando moças jovens e chamando-as para testes de elenco. Apesar de não ser um nome de peso, Toback já recebeu uma indicação ao Oscar pelo roteiro de “Bugsy” (1991) e foi premiado em Cannes por “Tyson” (2008). Ele também já trabalhou com gente como Robert Downey Jr.Jared Leto e Sienna Miller.

Dentre as atrizes que quebraram o silêncio, Adrienne LaValley diz que o cineasta esfregou o pênis em sua perna numa reunião e ejaculou nas próprias calças. “Ele me disse que nada o deixaria tão feliz quanto se masturbar enquanto me olhava nos olhos”, relata outra atriz, chamada Louise Post.

A professora de dramaturgia Karen Sklaire revela que casos envolvendo o cineasta se tornaram tão frequentes entre as jovens atrizes de Manhattan, que elas costumam dizer que foram “Tobackiadas” (Toback-ed, na versão original do neologismo). “Os casos são comuns entre várias mulheres que eu conheço… depois que alguém comenta que foi abusada sexualmente por um diretor/roteirista esquisito, a resposta é ‘ah, não. Você foi Tobackiada'”.

O cineasta nega todas as acusações e, de acordo o com o LA Times, Toback alega que os assédios seriam “biologicamente impossíveis”, pois há 22 anos ele tem diabetes e problemas no coração.

 

Continua após a publicidade

Publicidade