Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Com romance e mistério, ‘Run’ é uma série que cativa e foge do comum

Com nomes de peso nos bastidores e no elenco, "Run" é uma comédia romântica inusitada e envolvente

Por Júlia Warken - 19 abr 2020, 16h00

“Run” é a mais nova série da HBO e ela chegou sem fazer muito alarde, por mais que tenha ninguém menos do que Phoebe Waller-Bridge (criadora de “Fleabag” e “Killing Eve”) na produção executiva. Com episódios de meia hora, “Run” tem uma premissa simples e muito instigante: ela fala sobre um casal que namorou 17 anos atrás e que se reencontra quando ambos decidem colocar em prática uma espécie de pacto que fizeram no passado.

A ideia é a seguinte: se um deles enviar a mensagem “Run” (correr) e o outro responder também com a palavra “Run”, ambos devem se encontrar em um determinado trem. E é isso que acontece. A dinâmica é toda cercada de mistérios, pois os dois não se falam há um tempão, mas a química entre eles é inegável. O expectador também sabe pouquíssimo sobre ambos e a gente vai descobrindo as coisas ao mesmo tempo em que os personagens.

HBO/Divulgação

Apesar de não ser assinada por Phoebe Waller-Bridge, a série promete cair nas graças de quem é fã do estilo dela. De maneira envolvente, “Run” mescla comédia com um senso de melancolia e toda a aura de mistério já apontada aqui. Além disso, tem sex appeal e diálogos que prendem a atenção. Dá vontade de conhecer mais sobre os personagens e de descobrir o que irá acontecer com eles, mesmo que tudo pareça um tanto quanto inverossímil. Resta saber se a trama consegue sustentar essa fórmula até o fim da temporada.

A série é protagonizada pela sempre ótima – e pouco lembrada no Brasil – Merritt Wever e por Domhnall Gleeson. Ambos entregam atuações cativantes e fazem o casal funcionar muito bem.

Continua após a publicidade

Merritt prova, mais uma vez, que é uma atriz para estar sempre de olho. Além de estar fora dos padrões de beleza inatingível de Hollywood, ela é um camaleão atuando. Já venceu dois Emmys, por “Nurse Jackie” e “Godless” e também foi indicada ao Emmy e ao Globo de Ouro por “Inacreditável”. Mais recentemente, atuou em “História de Um Casamento”. Do cômico ao hiperdramático, da atuação solar à contida, ela nunca decepciona.

HBO/Divulgação

Domhnall Gleeson é mais conhecido por papeis pequenos em filmes que se destacaram na década passada, como a mais recente trilogia de “Star Wars”, “O Regresso”, “Brooklyn” e “Mãe!”. Antes disso tudo, protagonizou o cult “Ex_Machina”, filme que fez sua carreira deslanchar. Ele é o típico ator cujo rosto todo mundo conhece, mas o nome poucos lembram. Em “Run”, Domhnall tem a oportunidade de mostrar todo o seu potencial.

Outro ponto interessante da série é que ela é roteirizada e dirigida apenas por mulheres nessa primeira temporada. Vicky Jones, uma fiel colaboradora de Phoebe Waller-Bridge, faz sua estreia como showrunner, enquanto Kate Dennis e Natalie Bailey assumem a direção. Kate já foi indicada ao Emmy por “The Handmaid’s Tale”.

No ar desde o dia 12 de abril, “Run” conta com oito episódios na primeira temporada. Eles vão ao ar todos os domingos, à meia-noite, na HBO e também na HBO GO.

Publicidade