Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês

Gabriel García Márquez, o autor colombiano que o mundo ama

No aniversário de 91 anos de Gabriel García Márquez, o autor adorado no mundo todo ganha homenagem em um Doodle do Google.

Por Da redação - Atualizado em 17 jan 2020, 07h54 - Publicado em 6 mar 2018, 00h01

Nesta terça (6), Gabriel García Márquez completaria 91 anos, caso estivesse vivo. O escritor colombiano, principal expoente do realismo mágico latino-americano, morreu na Cidade do México em 2014 e deixou como legado dezenas de livros adorados tanto pelo público quanto pela crítica.

Em homenagem a ele, o Google publicou um Doodle celebrando a data. Na linda imagem, feita pelo ilustrador Matthew Cruickshank, há um retrato do escritor e a mágica cidade fictícia de Macondo, que ganhou vida no clássico “Cem Anos de Solidão“.

91 aniversario de Gabriel Garcia Marquez
Doodle comemorativo do 91º aniversário de Gabriel García Márquez retrata a cidade imaginária de Macondo. Google/Reprodução

Gabo, como era conhecido, começou a carreira como jornalista, no diário colombiano “El Universal”. Foi seu trabalho nos jornais, mais especificamente no “El Espectador” que fez com que ele se tornasse um escritor. “Relato de um Náufrago“, uma grande reportagem publicada em 14 capítulos, fez com que Gabo fosse exilado. O governo colombiano não ficou muito satisfeito com os fatos publicados pelo jornal, que não condiziam com a versão oficial apresentada ao público.

É bem verdade que, já nos tempos de jornalista, Gabriel García Márquez tinha o hábito de misturar realidade e ficção e inventar tramas e personagens que não existiam. E logo o colombiano passou a investir sua energia em contar histórias inventadas. Muitos dos livros escritos por ele foram inspirados em sua própria família e nas experiências de vida que teve quando foi criado pelos avós em Aracataca, na Colômbia.

Continua após a publicidade

O avô, Coronel Nicolás Ricardo Márquez Mejía, não era apenas rigidez. Ele foi uma grande influência na escrita de Gabo. Descrito como um grande contador de histórias, ele deixou importantes lições na mente do escritor. Ele costumava dizer ao neto: “Você não imagina qual é o peso de um homem morto”, referindo-se à gravidade que é tirar a vida de uma pessoa. Esta lição virou parte importante de muitos livros de Gabo.

A avó, Doña Tranquilina Iguarán, foi responsável por trazer fantasia para as histórias de Gabo. Ele dizia que se inspirava na forma como a avó tratava o extraordinário como “algo perfeitamente natural”. Ao falar sobre fantasmas, premonições e superstições, ela tornou-se a fonte da visão mágica e sobrenatural da realidade que Gabriel García Márquez abraçou em suas obras.

91 aniversario de Gabriel Garcia Marquez Nobel de Literatura
Gabriel García Márquez recebeu o Prêmio Nobel de Literatura em 1982. Hulton Archive/Getty Images

A obra-prima “Cem Anos de Solidão”, foi muito inspirada na casa e na cidade onde Gabriel cresceu com os avós. Contar a história inspirada na família e em Aracataca era um sonho antigo que ele tinha, e quando a inspiração finalmente chegou, ele se jogou na missão de escrever o livro de corpo e alma. Vendeu o carro que tinha para que a família pudesse se sustentar enquanto ele escrevia.

Durante um ano e meio tudo o que ele fazia era escrever essa história. Valeu a pena, pois o livro tornou-se o maior sucesso de Gabo, traduzido em mais de 35 línguas e com mais de 30 milhões de cópias vendidas. A família Buendía e a cidade ficcional de Macondo tornaram-se ícones da literatura latino-americana, e o livro, uma das principais obras do chamado realismo mágico.

Continua após a publicidade

O Amor nos Tempos do Cólera” é outra das obras consagradas de Gabriel García Márquez. Dessa vez ele se inspirou na história de amor de seus pais, que durante muito tempo não contou com a simpatia do avô de Gabo, um coronel que não aprovava o relacionamento da filha Luisa. O pai de Gabo teve de ser extremamente insistente para conseguir casar com a mulher que amava. E a história real virou o romance de Fermina Daza e Florentino Ariza.

Politicamente, Gabriel García Márquez era um socialista declarado e engajado. Ele dizia dever muito de sua visão polícia ao avô, que identificava com o Partido Liberal Colombiano, opositor do Partido Conservador do país. O escritor diz que o avô, em vez de ler contos de fada para ele, contava histórias da guerra civil em que liberais enfrentaram o governo conservador. Ele era amigo pessoal de Fidel Castro, e, por causa de sua proximidade com Cuba, durante muitos anos ele foi investigado pelo FBI. Apaixonado pelo poder, foi amigo de muitos governantes e políticos pelo mundo.

Gabriel García Márquez teve uma vida intensa e produtiva. Ao longo de seus 87 anos de vida, lançou mais de 25 livros e ainda escreveu roteiros para o cinema. Foi um dos maiores autores do século 20, e ganhou o Prêmio Nobel de Literatura em 1982. Continua sendo considerado um dos autores fundamentais para entender a América Latina. Seu talento merece ser lembrado nesse aniversário de 91 anos e para sempre.

Publicidade