Clique e Assine CLAUDIA por R$ 9,90/mês
Imagem Blog

Sofia Menegon

Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Sofia Menegon é feminista, idealizadora da podcast Louva a Deusa e consultora em relacionamento e sexualidade
Continua após publicidade

O que a não-monogamia pode ensinar aos monogâmicos?

Não precisa ter a não monogamia como meta de vida para aproveitar alguns ensinamentos

Por Sofia Menegon
4 jul 2024, 15h00

Há quem torça o nariz apenas de ouvir o termo “não-monogamia”. Há quem tenha curiosidade sobre o assunto, mas não se sinta preparada para viver uma experiência assim. Há quem saiba do que se trata, mas escolha ser monogâmico, embora saibamos que essa nem sempre seja mesmo uma escolha livre. Se você se encaixa em algum desses perfis, esse texto é para você!

Não precisa ter a não-monogamia como meta de vida e muito menos achar um conceito divertido para aproveitar alguns ensinamentos desse modelo relacional. Então, pode ficar tranquila que eu não estou aqui para te converter, ok? 

O que a não-monogamia pode te ensinar

Companheirismo sim, individualidade também! 

O modelo de relações proposto pelo amor romântico e monogâmico, por vezes – a maioria esmagadora delas-, consiste na ideia de que uma única pessoa vai suprir todas as nossas necessidades.

A parceria romântica, então, passa a ser nossa confidente para todos os segredos, companhia para todas as atividades, com quem a gente deve contar exclusivamente. Como consequência, acabamos confundindo companheirismo com dependência e, nessa brincadeira, esquecemos de quem somos sem aquela pessoa. 

Continua após a publicidade

Acontece que, em relações saudáveis, individualidade deve ser critério indispensável. Inclusive, alguns pesquisadores defendem que manter a individualidade permite até que o desejo pela parceria siga firme e forte.

Troca de exames periódica

É comum, em relações não-monogâmicas, que existam acordos de troca de exames periódica para IST’s. Uma maneira de garantir a segurança dos parceiros.

Relações monogâmicas, em que há combinado de exclusividade sexual, costumam simplesmente assumir os riscos, mesmo sabendo que, segundo pesquisa realizada em 2022, 8 em cada 10 brasileiros traem.

Continua após a publicidade

Se não há o que esconder, por que não fazer os exames? 

Comunicação assertiva

A não-monogamia não é nenhum mar de flores. Ainda mais co-existindo em meio a tantas crenças limitantes acerca do amor. Talvez por isso, e também pelo entendimento de que o outro não nos pertence, costuma-se estabelecer uma comunicação bastante sincera, clara e assertiva nesse formato de relação.

Falar sobre o que sentimos, sem necessariamente culpar o outro, mas abrir espaço para a fala e escuta é, sem dúvida alguma, um exercício que pode ser muito aproveitado pelos casais monogâmicos convictos.

Continua após a publicidade

Monogâmicos ou não, que possamos aprender a viver relações seguras, respeitosas e acolhedoras.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Moda, beleza, autoconhecimento, mais de 11 mil receitas testadas e aprovadas, previsões diárias, semanais e mensais de astrologia!

Receba mensalmente Claudia impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições
digitais e acervos nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de 14,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.