CLIQUE E RECEBA EM CASA A PARTIR DE R$ 14,90/MÊS
Natália Dornellas Conversa de Vó Natália Dornellas é jornalista, podcaster e ativista da longevidade. Procura por avós e avôs para prosear e histórias de #avosidade para contar. É criadora do podcast Conversa de Vó e cofundadora da plataforma 40+ AsPerennials

O pai da mãe: o amor retratado em fotos

Fotógrafo transforma rotina de cuidados com a mãe em obra de arte

Por Natalia Dornellas Atualizado em 13 Maio 2022, 13h35 - Publicado em 14 Maio 2022, 08h27

Como são lindas as histórias de cuidado, quando os papéis se invertem e viramos pais dos nossos pais. Eu mesma cuidei do meu paizinho por  2 anos, ele teve degeneração corticobasal e nos deixou em 2019, e foi por isso que me apaixonei definitivamente pela velhice. 

Num mundo em que se vive cada vez mais – sim, nós ganhamos cerca de 30 anos de expectativa de vida no último século – cuidar de um parente mais velho é cada vez mais comum, caso do fotógrafo Tony Luciani, que assina a série Mamma in the meantime (@ynotphoto256).

Tony Luciani
Elia Clementa Celli foi diagnosticada com Alzheimer e passou a viver com o filho. Tony Luciani/Divulgação

Nos anos 2010, o artista canadense tornou-se um cuidador familiar, quando a mãe, Elia Clementa Celli, de 91 anos, quebrou o quadril e foi viver com ele. 

Tony Luciani
Tony comprou uma câmera fotográfica para que ambos pudessem brincar. Tony Luciani/Divulgação
Continua após a publicidade

Para não deixar que o tédio e a tristeza se instaurassem, Tony comprou uma câmera fotográfica para que ambos pudessem brincar.

 “Mamãe suprimiu muitos sentimentos em sua vida, e essas fotos foram uma desculpa maravilhosa para revelar o que está dentro dela”, disse ele em entrevista ao The Independent.

Tony Luciani
“Mamãe suprimiu muitos sentimentos em sua vida, e essas fotos foram uma desculpa maravilhosa para revelar o que está dentro dela”. Tony Luciani/Divulgação

Diagnosticada com Alzheimer, Elia passava uma fase em que só se lembrava da infância em Roma, por isso queria andar de skate e pular amarelinha, mas ficou incomodada com o tripé da câmera que bloqueava sua passagem. Suas reações absolutamente espontâneas resultaram nas primeiras fotos da série que foi terapêutica para ambos.

Elia faleceu em 2021, mas suas fotos ganharam o mundo eternizando sua passagem por esta vida e o amor trocado com o filho Tony. 

Continua após a publicidade

Publicidade