“Não costumo tirar férias longas. Será que sou workaholic?”

Nossa colunista de carreira, Cynthia de Almeida, aconselha a leitora que não tira um mês de folga por temer ficar longe do trabalho

Trabalho na mesma empresa há seis anos e, nesse período, só tirei um mês completo de férias uma única vez. Gosto muito do que faço, sou reconhecida pelos meus chefes e pares e temo desapontá-los (e a mim mesma) se me ausentar por muito tempo. Será que estou sofrendo de workaholismo?

Talvez o nome nem seja esse. Mas o padrão de trabalho que você elegeu tem sim, algo similar a um círculo vicioso. Mesmo que tire folgas curtas para recarregar as baterias, a falta de um período mais longo fora do trabalho pode ter o efeito inverso ao que você valoriza: torná-la menos competente no que faz. Relaciono aqui três razões pelas quais coachs de carreira aconselham qualquer pessoa a gozar de seus 30 dias de descanso:

  • Férias deixam você mais competente. Está cientificamente provado que o cérebro precisa de intervalos e que um período longo de descanso aguça suas ferramentas de produtividade. Mentes renovadas pensam e agem melhor.
  • Férias oferecem uma nova perspectiva sobre você e seu ambiente de trabalho. Um tempo fora da sua rotina permite que você veja a si mesma, seus colegas, subordinados ou chefes de outra forma. O olhar de fora sobre você e os outros promove uma saudável reflexão sobre objetivos, propósitos erros e acertos. É uma oportunidade de entender a dinâmica de trabalho sem a sua presença e deixar de pensar apenas nas tarefas de cada dia para ter uma compreensão mais ampla de carreira.
  • Férias vão fazê-la lembrar o que de fato importante é para você. Quem trabalha muito e gosta do que faz costuma não se importar em deixar de lado outras coisas de que também gosta, mas que “não tem tempo de fazer”. É necessário que nos afastemos da rotina para retomar alguns prazeres e hábitos que foram negligenciados: amigos, festas, viagens, praia, livros, música. Seja lá o que você retome nas férias, vai lembrá-la que há muitos aspectos da vida tão bons e fundamentais quanto o seu trabalho. E reincorporá-los fará com que se sinta uma pessoa mais completa.

Cynthia de Almeida é colunista de CLAUDIA e escreve aqui no site toda terça-feira. Para falar com ela, mande um e-mail para redacaoclaudia@gmail.com