Clique e Assine CLAUDIA por R$ 9,90/mês
Continua após publicidade

Guia prático do que NÃO fazer no trabalho

Confira quais são os maiores erros cometidos no ambiente profissional e fuja deles!

Por Priscila Doneda
Atualizado em 11 abr 2024, 19h25 - Publicado em 7 ago 2015, 07h59

Com a ajuda de Allessandra Ferreira, especialista em gestão estratégica de pessoas e sócia e palestrante da AlleaoLado (empresa focada em palestras, treinamentos e coaching), listamos quais são os erros mais comuns no ambiente profissional e contamos a você como escapar de cada uma dessas armadilhas!

Apresentar um currículo perfeito (até demais…)

Os problemas no trabalho podem começar antes mesmo da contratação. Ao elaborar um currículo, é preciso ter cuidado para não incluir informações que não são relevantes para a vaga e, principalmente, não exagerar sobre as suas próprias qualidades. É muito comum que as pessoas acabem afirmando, por exemplo, que são fluentes em alguma língua estrangeira ou que sabem usar alguma ferramenta ou sistema – mesmo que essa competência não seja verdadeira. Mas não se esqueça: uma hora ou outra, você vai ter que demonstrar esse conhecimento. Por isso, não deixe de conferir quais são as qualidades de um currículo perfeito e se lembre de tomar muito cuidado com o que escreve por lá. Se quiser mostrar o seu lado criativo, você ainda pode escolher um modelo que seja a sua cara!

Ter uma carta de apresentação mal escrita

De acordo com Allessandra, um dos fatores que mais arruinam cartas de apresentação são os erros gramaticais e de ortografia. Esse documento funciona como um resumo do currículo, não devendo, portanto, ser extremamente curto ou exaustivamente longo. Depois de falar um pouco sobre você, não se esqueça de fazer uma revisão bem caprichada no texto, ok?

Não se preparar para a entrevista 

Mais uma vez: seja sincera. É preciso colocar as cartas na mesa e mostrar o quanto você realmente combina com a vaga que está disponível. Usar o tom de voz e vocabulário adequados, por exemplo, podem ajudar você a ter uma entrevista que impressione o contratador. “Não se esqueça de responder as perguntas de maneira objetiva e jamais falar mal da empresa anterior ou de pessoas com quem conviveu”, lembra a especialista. Espie aqui mais 7 coisas para não fazer em uma entrevista de emprego e confira as 50 perguntas mais frequentes em entrevistas!

Fisicamente falando, existe a preocupação com a postura com a qual os candidatos se comportam, assim como a roupa que vestem. Para esta ocasião, é aconselhado que os decotes, roupas curtas e acessórios exagerados sejam deixadas de lado. Além disso, para demonstrar sobriedade, aposte em um visual com cores neutras, que não chamem tanto atenção a ponto de distrair o entrevistador (sabia que a cor menos indicada é o laranja e a preferida é o azul?).

Continua após a publicidade

Falando em moda…

A consultoria Robert Half fez uma pesquisa com diretores de RH de 19 países e descobriu que 54% dos executivos brasileiros consideram que seus funcionários estão mal vestidos com certa frequência no trabalho – dado bem acima da média mundial. De acordo com a coach consultada, alguns passos devem ser seguidos. Primeiramente, é necessário perguntar ao RH qual é o dress code adotado pela empresa, afinal, é esse tipo de roupa que a diretoria espera ver em seus funcionários. No entanto, é preciso apostar em roupas que sejam confortáveis, pois a vestimenta não deve ser algo que atrapalhe o profissional. Além disso, cuidar dos cabelos e da maquiagem também ajudam a transmitir uma imagem positiva a todos da empresa. Os fios devem estar sempre limpos e penteados, enquanto a maquiagem deve ressaltar a beleza, mas sem ser o centro das atenções.

Não se preocupar com as suas redes sociais

“Deve-se conscientizar de que as redes sociais já não são mais pessoais, elas passaram a ser profissionais, pois tudo que se posta é avaliado e julgado o tempo todo e impacta diretamente a impressão da personalidade, produtividade e seriedade das pessoas com o trabalho”, alerta Allessandra. “Os usuários devem fazer uma boa curadoria do que expor e como expor para garantir sua proteção e diminuir sua vulnerabilidade”, explica. Então, nada de fazer aquela postagem reclamando do emprego ou do chefe chato, ok?

Não ter uma postura adequada

É claro que ninguém consegue ser 100% sério ou descontraído o tempo todo. Por isso, é preciso ter muito cuidado para não se perder no timing. Fazer brincadeiras fora de hora ou contar piadas sem contexto podem ser tão prejudiciais quanto manter a seriedade e querer falar dos projetos profissionais durante as festas de comemoração e integração. Tudo tem a sua hora, certo? 

Além disso, também é preciso observar como anda o seu comportamento físico. Posturas muito incisivas são desnecessárias, como apontar o dedo para alguém ou puxar a pessoa pelo braço, por exemplo. “Gestos obscenos estão fora de cogitação, assim como ficar largado na cadeira como se estivesse assistindo a um filme ou batendo papo em casa”, pontua a especialista. “Para relaxar, é melhor dar uma saída estratégica e retornar instantes depois”, ensina.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Moda, beleza, autoconhecimento, mais de 11 mil receitas testadas e aprovadas, previsões diárias, semanais e mensais de astrologia!

Receba mensalmente Claudia impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições
digitais e acervos nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de 14,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.