Como combater a queda anormal de cabelos

O número de mulheres que sofrem algum grau de calvice é mais alto do que se imagina

Não é à toa, é crescente a procura por tratamentos capilares em clínicas dermatológicas, com aparelhos supermodernos, que tratam diferentes problemas que afetam a saúde do couro cabeludo e dos fios. Segundo a Sociedade Brasileira de Cirurgia de Restauração Capilar, 25% das mulheres brasileiras entre 35 e 40 anos e 50% das que já possuem idade acima dos 40 anos sofrem algum grau de calvície.

Entre os fatores que podem agravar diretamente o problema, a dermatologista Karla Assed, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da American Academy of Dermatology, destaca má alimentação, herança genética, distúrbios hormonais e stress.

Perceber até 100 fios por dia caindo pelo chão da casa, do boxe do chuveiro e presos na escova é normal. “Já a rarefação capilar ou a presença de fios de cabelo no travesseiro, não”, diz Karla. 

Tratamento

Existem vários tratamentos para queda de cabelo, mas o mais importante é identificar a causa principal da queda. “O tratamento pode incluir corrigir a causa da queda, o uso de medicamentos tópicos e /ou orais  para estimular o crescimento e diminuir a queda, uso de laser  para estimular o nascimento e/ou crescimento dos fios”, diz a médica.

Uma das novidades tecnológicas para o tratamento do problema é o aparelho Bulge. Ele realiza uma tomografia completa dos fios, para diagnóstico e tratamento precisos. Ele utiliza tecnologias como luz LED, laser de baixa potência, oxigenioterapia, spray de limpeza e pulverização de medicamentos tópicos, microcorrente, eletroestimulação, drug delivery digital, além de radiofrequência microagulhada.

Além disso, cuidar do couro cabeludo é importante para que os fios voltem a nascer e para evitar novas quedas. “A esfoliação deixa o couro cabeludo mais limpo e diminui a oleosidade, o que auxilia no combate à queda.”