Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês
Rachel Jordan Especializada em imagem, comportamento e protocolos internacionais, Rachel Jordan é consultora, instrutora, palestrante e ministra cursos e workshops por todo o Brasil sobre imagem e comportamento no ambiente profissional

Os desafios de uma líder

Uma articuladora se abastece de criatividade e talento para mudar e propor, de maneira positiva, a quebra de paradigmas

Por Rachel Jordan - Atualizado em 12 Maio 2020, 18h58 - Publicado em 12 Maio 2020, 18h00

Na última década vivemos uma profunda transformação no mercado de trabalho em âmbito mundial. É inegável que a era digital promoveu uma verdadeira revolução tecnológica e apresentou um novo padrão de comportamento nas relações profissionais. E, como era de se esperar, essas mudanças redesenharam conceitos e valores promovendo uma nova forma de pensar e agir no universo corporativo. Em meio a toda essa disruptura não há dúvidas de que os mais jovens saíram ganhando e estão colhendo os frutos desses desdobramentos.

Valorizados pelo perfil inovador, futurista, proativo e com cabeça aberta para absorver e implantar as mutações que o mercado exige, os jovens profissionais ganharam papel de destaque e vêm ampliando cada vez mais seus espaços no ambiente corporativo. As empresas já entenderam que precisam mudar e estão em busca de líderes jovens para ajudar a colocar em prática essas transformações que estão fazendo a diferença no mercado. Afinal de contas, ter um ambiente profissional mais empático, acolhedor, flexível e moderno faz parte desse novo mundo que envolve as relações de trabalho.

E você, está preparada para ser uma líder frente a essas novas imposições do mercado? E se já ocupa posto de comando, está exercendo sua função conectada com as novas formas de gerenciamento? Respeita a diversidade? É preciso entender que os gestores de hoje nada têm em comum com o de décadas passadas, quando a escala hierárquica os colocava num patamar distanciado e, em alguns casos, opressor.

Atualmente, as empresas valorizam profissionais que têm habilidade social e talento para promover um clima saudável de relacionamento interpessoal, com sensibilidade para gerenciar situações de conflito e, acima de tudo, que goste de lidar com pessoas. Trocando em miúdos, a líder que está no radar das corporações precisa ser empática, generosa e com inteligência emocional para gerenciar de forma segura e serena as diferentes armadilhas que o ambiente de trabalho apresenta no dia a dia.

Continua após a publicidade

Mais do que ter um currículo incrível, o que se espera de uma líder moderna é que ela tenha criatividade e talento para apresentar novos formatos na estrutura de trabalho e que proponha, de maneira positiva, a quebra de paradigmas. E para conseguir tudo isso meninas, é preciso saber cativar, trazer para perto de si os seus liderados e ser vista como uma influenciadora de ações positivas.

Como nem tudo são flores nessa desafiadora missão, listo abaixo seis dicas que vão ajudá-la a exercer o papel de líder com mais segurança e serenidade.

Autoconhecimento – Vamos combinar que se conhecer e ter domínio de suas próprias emoções é bom em qualquer área de nossas vidas, que dirá nas relações de trabalho. Ter autoconhecimento é um sinal de inteligência emocional, uma característica fundamental para comandar com serenidade e confiança. Quem se conhece bem e sabe como controlar suas emoções terá mais facilidade para gerenciar e solucionar conflitos.

Respeito – Saber administrar as diferenças existentes entre profissionais de diferentes gerações é um desafio. Não seja arrogante, não despreze o conhecimento que um profissional mais experiente tem a lhe oferecer. Não se esqueça que você tem domínio sobre questões que não são familiares a essas pessoas, mas certamente a vivência delas pode ser preciosa para ajudar a resolver uma questão que você não domina. Seja empático e não demonstre preconceito com um profissional mais velho.

Continua após a publicidade

Assuma sua responsabilidade – Nada mais antigo do que um líder que sai apontando as falhas de seus subordinados. Assumir a responsabilidade de um profissional ou de um grupo é desafiador, mas necessário. Saiba que um líder de sucesso não é aquele que acusa, e sim o que aponta caminhos para solucionar os conflitos. Antes de fazer qualquer acusação, avalie com sinceridade o que pode ter levado aquela pessoa ou grupo ao erro e tente resolver o problema com a colaboração dos envolvidos na questão.

Valorize sua equipe – Nada pior do que um gestor que não valoriza o bom desempenho de um funcionário individualmente ou de sua equipe. Todos gostam de ver seu trabalho reconhecido. Mantenha sua equipe estimulada, reconheça e valorize os méritos de cada um. Saiba que atitudes como essa ajudam a reter talentos que são importantes para a empresa e para o seu crescimento. Ao serem valorizados, seus funcionários também valorizam e admiram você.

Atualize seu conhecimento – Nada pior do que um gestor que não é antenado com as transformações do mercado. Seja um exemplo para a sua equipe. Adquira novos conhecimentos permanentemente, faça novos cursos, troque informações com seus subordinados e não tenha medo de aprender com eles. Pratique a hierarquia horizontal, onde todos são vistos como iguais e peças importantes para o bom desempenho da empresa.

A importância do feedback – Uma das melhores iniciativas que você pode ter é propor reuniões regulares para sentir a “temperatura” da equipe. Mas esqueça aquelas reuniões formais comuns aos velhos padrões de hierarquia. Promova encontros de trocas, fale sobre o desempenho das atividades, acompanhe o desenvolvimento de cada um individualmente. Escute o que sua equipe tem a dizer, ouça as reivindicações individuais. Essa é uma ótima medida para alinhar o trabalho, estimular a produtividade e ver no que você pode melhorar para tornar sua gestão mais eficaz.

Continua após a publicidade

Em tempos de isolamento, não se cobre tanto a ser produtiva:

 

Publicidade