Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês
Rachel Jordan Especializada em imagem, comportamento e protocolos internacionais, Rachel Jordan é consultora, instrutora, palestrante e ministra cursos e workshops por todo o Brasil sobre imagem e comportamento no ambiente profissional

Mudamos nossa imagem profissional após o isolamento social?

O Home Office impulsionou a transformação pessoal e profissional

Por Rachel Jordan - Atualizado em 19 ago 2020, 15h58 - Publicado em 19 ago 2020, 16h15

Há pouco mais de um mês passamos a conviver com as medidas de flexibilização adotadas pelas autoridades municipais e estaduais para reiniciarmos, aos poucos, e com todos os protocolos exigidos, nossa rotina social e profissional após um longo e duro período de quarentena. Chegamos até a viver, momentaneamente, a euforia de que tudo estava voltando ao normal, não é mesmo? Mas logo caímos na real e percebemos que não é bem assim. A pandemia continua devastadora e o cenário que estamos encontrando nas ruas é bem diferente daquele que sonhávamos quando estávamos trancados em casa no auge do isolamento social. Das máscaras que cobrem parte dos nossos rostos até um cenário de abandono em alguns pontos das nossas cidades, tudo está muito diferente.

E por mais que muitos insistam em dizer que as coisas estão voltando a ser como antes do Coronavírus, a verdade é que não somos mais os mesmos de cinco meses atrás. Querendo ou não fomos obrigados a repensar, a refletir sobre nossas relações, nosso estilo de vida e trabalho e, num universo mais macro, sobre tudo aquilo que nos cerca. Não resta dúvida de que nosso comportamento social e profissional se transformou. Se para melhor ou pior só saberemos mais adiante, quando todo esse pesadelo tiver terminado e pudermos avaliar com o distanciamento necessário essa situação. Mas, por alguns minutos, pare e reflita comigo. Você não passou por nenhuma mudança? Eu, com certeza, me sinto transformada após esse processo.

Percebo uma mudança real no que diz respeito à imagem pessoal e profissional de muitas pessoas. Se elas perdurarão por muito tempo é outra história. Passamos meses dentro de casa, ficamos mais despojados, nos permitimos ser mais autênticos sem estarmos preocupados em apresentar uma imagem que, muitas vezes, nem correspondia ao que somos em nossa essência. Arrisco a dizer que o Home Office impulsionou essa transformação pessoal e profissional. As reuniões, que antes aconteciam no ambiente formal das grandes empresas, invadiram nossas casas. O trabalho veio até nós e nos apresentamos a ele de uma outra forma. Como já aconteceu em outros momentos da história, quando grandes acontecimentos como a primeira e a segunda Guerra Mundial marcaram de forma irremediável a humanidade, acredito que viveremos um novo padrão de comportamento e de estilo de vida.

Alguns setores já acusam o golpe provocado pela pandemia. E o segmento da moda, cara leitora, é um deles. Um dos canais que melhor traduz o comportamento de uma época, a moda, mais uma vez, vem revelando os resultados das primeiras mudanças, principalmente no que diz respeito ao dress code profissional. Atentas à forma como a maioria passou a se comportar, principalmente diante da tela de um computador nas infinitas videoconferências de trabalho, as marcas detectaram uma nova imagem profissional e criaram peças que conversam com a necessidade atual de consumo. Vamos combinar que muitas de nós assumiu, sem culpa, um estilo mais despojado sem perder a seriedade que o meio profissional exige.

A respeitadíssima editora de moda Anna Wintour foi uma das primeiras a dar sinal verde ao estilo comfy, que vem ganhando força com a pandemia, ao postar uma foto em seu Instagram usando suéter de lã e calça no melhor estilo esportivo num momento de trabalho. Não posso, e nem quero fazer previsões sobre o futuro, mas creio que estamos num momento de evolução. O conforto aliado à elegância vai predominar na nossa imagem profissional já que todas as tendências apontam que o Home Office chegou para ficar. A ostentação cederá espaço para uma imagem social e profissional mais consciente, sóbria e empática.

E observem, conforto e naturalidade vieram para ficar, embalado por um novo padrão de comportamento. Afinal de contas, como manter a imagem pessoal e profissional que apresentávamos antes da pandemia se já não somos as mesmas pessoas de antes? Com a devida ressalva aos mais vulneráveis, com a pandemia percebemos que precisamos de muito menos do que temos. Nunca fomos tão empáticos como nesse momento. Nos demos conta de que uma boa imagem nada tem nada a ver com ostentação e exagero, atitudes totalmente fora do padrão atual.

Continua após a publicidade

Abaixo sugiro algumas propostas que dizem respeito a essa nova imagem profissional que chegou com a pandemia.

Estilo Comfy – Conforto não significa trabalhar de pijama. Pense na mensagem que deseja transmitir. Você pode ter passado por pequenas transformações, mas a sua reputação profissional, construída ao longo de anos, precisa se manter inabalável. Trabalhando de forma presencial ou em Home Office, opte pelo conforto, mas não abra mão de uma imagem que traduza o seu profissionalismo e comprometimento com a empresa.

Reprodução/Getty Images

Moda x Isolamento – O estilo esportivo pode ser uma ótima escolha para quem não quer abrir mão do despojamento atual. As grandes marcas estão revendo suas coleções e lançando produtos que atendem em cheio a consumidora mais consciente e sustentável que ganhou vida no isolamento social. Mais do que um estilo, é uma atitude diante desse novo cenário que estamos vivendo.

Reprodução/Getty Images

Liberdade para os pés – Durante anos nossos pés sofreram aprisionados por saltos altos que só faziam bem aos olhares dos nossos interlocutores. Ainda continua sendo uma imposição em muitos ambientes profissionais, mas com o distanciamento social, eles ficaram um pouco mais à vontade e, agora, só querem saber de conforto. Se você já voltou a trabalhar de forma presencial, não precisa ficar com saudade do conforto proporcionado aos seus pés durante a quarentena. A sua imagem profissional não ficará manchada se você optar por um tênis estiloso ou modelos de calçados mais confortáveis e fora do velho padrão. Se antes você recorria aos saltos altos, agora opte pelos saltos blocados que, além de confortáveis, estão super em alta.

Neil Mockford/GC Images/Getty Images

Sem lugar para o preconceito – Essa parada obrigatória nos fez enxergar o quanto somos vulneráveis e como alguns padrões de comportamento não fazem mais sentido. Não há mais lugar para preconceitos de nenhuma espécie e muito menos para comportamentos arrogantes e egoístas. Seja no seu ambiente pessoal ou profissional, pense muito antes de tomar qualquer atitude, ela funcionará como espelho da sua imagem. Antes de tomar qualquer atitude pense como você se sentiria se estivesse no lugar do outro.

Reprodução/Getty Images

O que falta para termos mais mulheres eleitas na política

Continua após a publicidade
Publicidade