Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês
Denise Steiner Por DERMATOLOGIA A médica Denise Steiner é dermatologista, ex-presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia e doutora pela Unicamp

Tratamento com plasma é promessa para combater a queda de cabelo

Para a técnica, o sangue do paciente é colhido, o plasma é separado e, então, reinjetado no couro cabeludo

Por Denise Steiner - Atualizado em 22 jun 2020, 14h33 - Publicado em 25 jun 2020, 09h00

Estudar e saber mais sobre pele e cabelo são paixões que carrego comigo. Por esse motivo, venho pesquisando e aprendendo sobre plasma rico em plaquetas PRP, técnica que faz parte da terapia regenerativa, usada para vários tratamentos na área da saúde.

O plasma rico em plaquetas tem bons resultados no tratamento da calvície e outros tipos de queda de cabelo. Trata-se de uma técnica onde o sangue do paciente é colhido, centrifugado para haver a separação entre a parte vermelha e o plasma e, em seguida, o plasma é injetado na área da calvície.

Todo o processo é realizado com um kit específico onde está determinado o tipo de centrífuga, o tubo para coleta e também qual será a concentração final das plaquetas após centrifugação. O mecanismo de ação do tratamento é concentrar o número de plaquetas com a centrifugação e depois aplicar o mesmo na pele, onde haverá liberação de vários tipos de fatores de crescimento do próprio organismo.

A calvície é caracterizada por um afinamento progressivo dos fios geneticamente susceptíveis. Após certo grau de miniaturização, o fio morre de forma irreversível. O tratamento com PRP é interessante antes de o fio morrer. No processo de perda capilar tipo calvície há influência genética, hormonal e também da inflamação e oxidação no local da raiz.

Continua após a publicidade

Os principais fatores de crescimento liberados pelas plaquetas no PRP são:

PDGF –  o fator de crescimento plaquetário, que mantém a fase de crescimento mais longa e estimula a célula tronco do folículo;

IGF1 – o fator de crescimento “insulinalike” que melhora a densidade capilar e também a fase de crescimento do fio;

VEGF – o fator de crescimento endotelial que melhora a vascularização e angiogênese. O estímulo desse fator de crescimento é muito importante porque ele está  diminuído na calvície.

Continua após a publicidade

Além dos fatores de crescimento, o PRP também melhora a inflamação da calvície, melhora a resistência imunológica do local, e diminui a oleosidade.

A aplicação do plasma na área da calvície pode ser com injeção ou com técnicas de “drug delivery” como microagulhamento e microinfusão de medicamento na pele MMP®.

O grande diferencial do tratamento é o estímulo das células tronco que são células com múltiplas capacidades regenerativas e que estimulam o crescimento e engrossamento dos fios. O PRP é eficaz tanto para homens como mulheres e pode ser usado em qualquer idade.

A medicina regenerativa, onde recursos do próprio organismo podem melhorar processos genéticos e degenerativos, tem obtido resultados alentadores.

Continua após a publicidade

O que você precisa saber sobre gravidez em tempos de pandemia

 

Publicidade