Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês
Denise Steiner Por DERMATOLOGIA A médica Denise Steiner é dermatologista, ex-presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia e doutora pela Unicamp

As razões da queda de cabelo nas mulheres

Veja também quais os tratamentos mais comuns para estes casos

Por Denise Steiner - Atualizado em 5 mar 2020, 15h56 - Publicado em 5 mar 2020, 13h59

A queda de cabelo feminina é uma alteração muita perturbadora para as mulheres. Geralmente, a queda é o eflúvio telógeno seguida pela calvície ou alopécia androgenética.

O eflúvio telógeno é o nome dado a uma queda difusa de cabelo onde acontece uma disritmia do ciclo capilar.  O cabelo passa rotineiramente por fases de crescimento e queda, sendo que 85% dos fios estão na fase de crescimento, e 15% em fase de queda. Quando o organismo é submetido a um estímulo negativo como uma doença infecciosa, um estresse significativo ou uma anemia intensa, o cabelo para de crescer e entra precocemente na fase de repouso seguida de queda. Essa fase dura de 2 a 4 meses. Após o distúrbio desencadeante, o cabelo cai inteiramente, assustando a portadora. Por esse motivo, qualquer alteração de saúde ou nutricional deve ser investigada quando existir a queda de cabelo intensa e difusa.

Alterações de tiroide como hipo e hipertireoidismo, anemia, ferritina baixa, a perda de peso significativa, regimes intensos, remédios, estresse podem levar a queda de cabelo. Em geral, o eflúvio telógeno melhora assim que a causa da queda é solucionada. Muitas vezes não há necessidade de tratamento específico.

A segunda causa da queda de cabelo é a alopécia androgenética ou calvície. Ela ocorre por predisposição genética e promove afinamento dos fios, principalmente na região frontotemporal. A mulher nesse caso percebe rarefação na parte superior do couro cabeludo e muitas vezes queda significativa dos fios.

Continua após a publicidade

A alopécia androgenética feminina está associada a predisposição genética principalmente advinda da mãe e geralmente não há alterações hormonais significativas. A dermatite seborreica piora a calvície e o estresse intenso também. A calvície pode ser tratada com finasterida e minoxidil, as drogas clássicas para estas alterações.

A microinfusão de medicamentos na pele que preconiza a entrada de medicações na pele utilizando uma máquina similar àquela da tatuagem, aspira o remédio por agulhas e os mesmos são injetados através de uma vibração na área afetada. Nesse método (MMP®️), medicações são injetadas no couro cabeludo e estimula a formação do crescimento dos fios pela picada da agulha. Esse tratamento é preconizado 1 vez ao mês por volta de 10 meses. É ligeiramente doloroso no momento da aplicação, mas após o procedimento não há dor nem outros comemorativos.

A alopécia androgenética ou calvície deve ser tratada prontamente pois quanto menos o afinamento do fio, menos a perda do mesmo. Os hormônios embora em geral normais devem ser checados para manter os níveis normais e equilibrados. Cuide da sua queda de cabelo! Procure um médico dermatologista especialista.

Publicidade