Especial verão: como fazer o bronzeado durar mais?

O dermatologista Thales Bretas ensina como cuidar da pele antes, durante e depois da exposição ao sol para manter a cor de forma saudável

Por Thales Bretas, dermatologista e membro da Sociedade Brasileira da Dermatologia, do Rio de Janeiro

Para fazer o bronzeado durar mais, devemos começar pela forma de se bronzear: a coloração gradual, obtida através da exposição com proteção solar adequada, é a mais duradoura. Aquele bronzeado que vem de uma queimadura solar, após a vermelhidão e a ardência, vai embora rapidamente na forma de descamação. O sol entre 10h e 16h deve ser evitado, justamente por ocasionar mais queimadura do que em si o bronzeamento.

A alimentação também é um ponto importante, já que alimentos ricos em carotenóides, como os vermelhos (tomate e melancia) e alaranjados (cenoura, laranja e mamão), auxiliam na pigmentação da pele e na fotoproteção, trazendo uma cor saudável e gradual, quando ingeridos junto à exposição solar.

Se você não tem muito tempo de sol disponível, pode usar o recurso dos autobronzeadores em spray ou cremes, que trazem cor através de uma reação química com células superficiais da pele, gerando o pigmento acastanhado chamado melanoidina, sem agredir ou modificar a estrutura desse nosso órgão de barreira.

Entre os cuidados depois do bronzeamento, o principal deve ser a hidratação vigorosa, tanto pela ingestão de líquidos quanto pelo uso de cremes ou géis hidratantes após o sol. Evitar banhos muito quentes ou esfoliações também ajuda a manter a hidratação da pele, conservando a cor adquirida.

Os banhos devem ser preferencialmente frios ou mornos, curtos, com sabonete hidratante e sem esponja, a não ser em partes críticas que exijam uma higiene mais rigorosa.