Clique e assine Claudia a partir de R$ 8,90/mês
Cynthia de Almeida Por Mulher S.A. Coluna da jornalista e estudiosa do comportamento feminino Cynthia de Almeida

Operação descarte para tirar a desordem da sua vida

“Isto me traz alegria?” é a pergunta a se fazer neste início de ano

Por Cynthia de Almeida - Atualizado em 17 jan 2017, 19h05 - Publicado em 17 jan 2017, 18h59

O método KonMari é uma maneira simples, inteligente e eficaz de eliminar a bagunça de vez. Ele propõe que se comece descartando coisas. Em seguida, organize o ambiente inteiro de uma só vez. A ideia é que, se você adotar essa estratégia, a desordem nunca mais voltará a se instalar.

Essa é a teoria da consultora e especialista em arrumação Marie Kondo, que já vendeu mais de 2 milhões de cópias de A Mágica da Arrumação (Sextante). A tática é radical: tudo na casa é tirado do lugar, colocado no chão, analisado, descartado ou conservado e recolocado no lugar.

O critério para tomar essa decisão é responder a uma pergunta muito simples: “Isto me traz alegria?”. Só quem se deu a esse trabalho insano, que Kondo chama meigamente de “a arte japonesa de colocar ordem na sua casa e na sua vida”, conhece o ônus e o bônus do negócio.

Eu “mariecondei” meus armários (ainda faltam os livros e a papelada) e acredito que o processo é transformador e pode ser bem aplicado para além dos espaços físicos.

Continua após a publicidade

Não sei se a guru aprovaria minha licença poética, mas a pergunta “Isto me traz alegria?” cabe também para sua agenda, seu emprego, seus projetos, suas metas e, principalmente, para as pessoas ao seu redor, como parceiros, chefes e colegas – e é nesse grupo que eu pretendo focar. Como Kondo ensina, na hora de se lançar à mágica da arrumação, o melhor é iniciar pelo óbvio.

Nesse caso, afastar quem definitivamente não traz alegria à vida, ou seja, pessoas negativas. Minha sugestão de detox para começar um ano mais feliz é se livrar delas. Entretanto, como pode ser um pouco mais complicado aplicar o método de Kondo em pessoas, reuni dicas de conselheiros de carreira da revista americana Time que servem de guia para o processo.

Demita os negativos Um único membro tóxico pode comprometer toda a cultura da empresa ou do negócio. Se você for o chefe ou líder, primeiro converse com a pessoa e dê a ela uma chance de mudar. Se o comportamento persistir, dispense-a.

• Estabeleça limites Muitas vezes, não podemos evitar a permanência de alguém negativo no ambiente de trabalho – pense naquele colega queixoso, que reclama de tudo, só aponta problemas e nunca se esforça para melhorar sua vida ou oferecer soluções. A única maneira de se proteger pode ser reduzir as interações ao mínimo necessário.

Continua após a publicidade

• Escolha suas batalhas Não reaja todas as vezes que alguém a irritar, pois fará parecer que você gosta da discussão, além de permitir que a toxicidade do outro entre na sua vida. O melhor a fazer é tentar ignorar comentários que não trazem nada de positivo.

Não tente entender as razões da negatividade Pessoas nocivas tendem a se comportar irracionalmente. Portanto, se esforçar para analisar as ações dela é perda de tempo e energia.

• Crie uma rede de proteção Construa um network de amigos, colegas e contatos positivos, no qual possa se apoiar em momentos mais desafiadores.

• Valorize a positividade Sua felicidade e seu bem-estar são importantes demais para se deixar afetar por uma opinião negativa ou um comentário grosseiro. Mantendo-se positiva, é provável que essas pessoas se afastem de você por conta própria.

Publicidade